Uma breve retrospectiva das pesquisas de João Gonçalves em Irecê

Uma breve retrospectiva do instituto C & R Pesquisa que desde a sua fundação, em 1988, nunca errou resultados de pesquisas eleitorais

DA REDAÇÃO

Há 33 anos, o jornal Cultura&Realidade, antes impresso, agora eletrônico, realiza e publica pesquisas de tendência de voto, sem nunca ter errado um só resultado até o presente momento. o seu elevado índice de assertividade tem repercutido em toda a Bahia e atualmente os seus serviços estão presentes em mais de 180 municípios do estado, além do Sul de Pernambuco, Sergipe e do Norte de Minas Gerais.


1996

Primeira eleição de Beto Lelis, em 1996, contra Luiz Sobral. O servidor da Polícia Civil e radialista Zé Bastos e Ricardo, empresário da construção civil perguntaram ao diretor do instituto, ainda na antiga delegacia, na Av. Tertuliano Cambuí, como seria a eleição de 1996. Após algumas considerações, foram informados que, de acordo a consulta da C&R Pesquisas, seria uma frente de 1500 votos a favor de Beto Lelis. Um dos dois, riscou na parede da recepção aquela previsão. Deu 1.501.


2000

Nas disputas pela prefeitura do ano 2000, Ivone Pimentel “engrossou o caldo” contra Beto Lélis. Havia outro candidato em terceira via: Dr. Francisco Dourado, filho do Juiz do Trabalho e ex-deputado Stoessel Dourado. Naquela eleição, em consulta pública realizada uma semana antes e divulgada na véspera da eleição, a C&R Pesquisas cravou e está em jornal impresso, inclusive arquivado no Cartório Eleitoral da 95ª Zona, que a frente de Beto Lélis seria de 1%, mesma quantidade de votos que teria Dr. Francisco. Ao abrir as urnas, lá estavam 281 votos a frente de Beto para Ivone Pimentel e 281 votos a quantidade de sufrágios destinados ao candidato da terceira via.


2004

Em 2004, poucas pessoas acreditavam na vitória de Joacy Dourado, contra Zé Duarte. A Ildom Pedro Oliveira, diretor da Caraíbas FM, foi dito pelo diretor da C&R Pesquisas, que Joacy iria dar a volta por cima e ganharia a eleição. A Juniôr do Prakasa, foi dito que Joacy teria uma frente acima de 2.450 votos. Ele não acreditou muito, mas ao abrir as urnas, lá estavam 2.729 votos a frente de Dourado.


2008

Em novembro de 2007, o governo de Joacy enfrentava uma grande crise de aceitação. A C&R Pesquisas sinalizou 76% de rejeição. Porém, obras estaduais, requeridas pelo então deputado Zé das Virgens, junto ao secretário de Infraestrutura da época, Afonso Florence, permitiu a pavimentação de 44 ruas e o governo municipal se regenerou, viabilizando assim o projeto político que teve o petista Zé das Virgens como candidato. Mais uma vez a C&R Pesquisas cravou o resultado, afirmando antecipadamente que Zé das Virgens ganharia com votação expressiva, com frente acima de 4 mil votos contra Luiz Sobral. Deu 4.110, a frente do petista.


2012

Na disputa para reeleição de Zé das Virgens, novamente contra um representante do clã sobralista (Luizinho Sobral), a C&R Pesquisas anunciou que se o grupo situacionista invertesse 390 votos ganharia a eleição. Luizinho venceu com 763 votos de frente.


2016

Em 2016, a C&R Pesquisas apontou, nas manifestações definidas, 47,7% de votos para Elmo Vaz e 46,6% para Luizinho Sobral, que, em projeção dos votos válidos, em números arredondados, Elmo Vaz ganharia com 52% dos votos, contra 48% dedicados a Luizinho Sobral. As urnas conferiram Elmo Vaz 51,13%, contra 48,83% de Luizinho. Ou seja, resultado antecipado cravado, considerando a margem de erro de 2% para mais ou para menos.

Deixe uma resposta