Câncer em crianças e jovens tem 80% de cura com diagnóstico precoce

DA REDAÇÃO | Viva bem

Se por um lado o câncer em adultos está ligado ao envelhecimento, tabagismo, álcool, entre outros riscos de exposição, o câncer na infância não tem relação com fatores ambientais e de estilo de vida. Por esse motivo, é muito importante o diagnóstico precoce para o sucesso do tratamento. Fique atento a alguns sinais e sintomas, como:

  • Perda de peso contínua e inexplicável;
  • Dores de cabeça com vômito de manhã;
  • Aumento do inchaço ou dor persistente nos ossos ou articulações;
  • Protuberância ou massa no abdômen, pescoço ou qualquer outro local;
  • Desenvolvimento de uma aparência esbranquiçada na pupila do olho ou mudanças repentinas na visão;
  • Febres recorrentes não causadas por infecções;
  • Hematomas excessivos ou sangramento, geralmente repentinos;
  • Palidez perceptível ou cansaço prolongado.

O Dia Nacional de Enfrentamento ao Câncer Infantojuvenil foi celebrado nesta segunda-feira (23). A data foi criada para conscientizar sobre a importância do diagnóstico e do tratamento precoce da doença. O Brasil registra 8 mil novos casos por ano. E o mais triste: representa a primeira causa de óbitos entre crianças e adolescentes na faixa etária de zero a 19 anos. Os números chamam atenção dos profissionais de saúde que atuam no combate à doença. O médico oncologista Marcos Saramago ressalta a importância do acolhimento da família e da criança no momento do diagnóstico.

Em todo o mundo, segundo a Agência Internacional de Pesquisa em Câncer, a estimativa é que, todos os anos, são diagnosticados 215 mil casos em crianças menores de 15 anos, e cerca de 85 mil em adolescentes entre 15 e 19 anos.

No Brasil, o Instituto Nacional de Câncer (Inca), vinculado ao Ministério da Saúde, acredita que entre 2020 e 2022 o número de novos casos de câncer infanto-juvenil pode atingir, por ano, mais de 4,3 mil meninos e 4,1 mil meninas.

Ao contrário da maioria dos tipos de câncer em adultos, os fatores de risco relacionados com o estilo de vida não influenciam a possibilidade de uma criança ou adolescente desenvolverem a doença, cujos sintomas podem ser parecidos com os de outras enfermidades comuns à idade.

Mas se por um lado a incidência de câncer infantil tem aumentando no mundo, por outro o progresso no diagnóstico e tratamento do câncer nesses casos também aumentou, em especial nas últimas quatro décadas. Segundo especialistas, em torno de 80% dos pacientes podem ser curados. Tudo vai depender do diagnóstico precoce e tratamento em centros especializados.

Deixe uma resposta