Mais de R$ 2,9 milhões pagos pela prefeitura, beneficiam à família Cardoso, em João Dourado

Sede do Governo de João Dourado (Gabinete do prefeito e Secretarias) alugado por R$ 6.000,00 em benefício de Eliene Cardoso - Foto: Divulgação

Irmãos, primos e primas fazem parte de uma casta de privilegiados joãodouradenses, que recebem fortunas em salários e contratos de aluguéis e serviços que estão acima da realidade do mercado, enquanto 67% da população vive com menos de um Salário Mínimo. As investigações continuam e podem chegar a mais de R$ 5.000.000,00 (cinco milhões de reais) segundo os vereadores que fazem o levantamento dos privilégios da família Cardoso na Prefeitura.

DA REDAÇÃO | Com informes da CÂMARA DE VEREADORES DE JOÃO DOURADO*

Uma minuciosa investigação nas contas da Prefeitura de João Dourado, feita junto ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), revelou um contexto desconhecido da maioria das famílias joãodouradenses. Enquanto mais de 51% da população, segundo dados do (IBGE/2018) vive com até ½ (meio) Salário Mínimo e 67% com até no máximo um Salário Mínimo, alguns poucos felizardos da família Cardoso, tradicional na política local, abocanha mais de R$ 2.900.000,00 (dois milhões e novecentos mil reais) em empregos com generosos salários e aluguéis de imóveis com valores acima da média do mercado imobiliário. As afirmativas são dos vereadores Carlos Átila Araújo, Cristiano Oliveira de Souza, Élcio Loula Dourado e Rute Pereira de Brito Borges que lançaram o movimento “João Dourado com transparência e igualdade social”.

Mais de 51% da população em João Dourado vivem com menos de meio de Salário Mínimo (R$ 527,50)

De acordo com os documentos apresentados pela prefeitura, em suas prestações de contas, verifica-se uma verdadeira farra de nomeações da família com ganhos generosos e locação de imóveis e serviços de carros de som com valores aviltantes.


A investigação é fruto de um movimento dos quatro vereadores, denominado “João Dourado com transparência e igualdade social”, que tem a finalidade de garantir a otimização dos investimentos públicos de João Dourado, a partir do controle social, transparência e participação social nas decisões da administração pública local. “Iniciamos este movimento, visando por em prática o velho discurso da participação cidadã, que muitos falam, mas poucos praticam. Nosso intuito é fazer com que os recursos do município sejam bem aplicados, que as prioridades das comunidades sejam definidas pela população e que se evite privilégios na prefeitura, o que causa prejuízos a quem mais precisa. A maior parte da população não consegue um exame, um simples medicamento, mas tem gente rica com muitos privilégios”, disseram os vereadores em manifesto conjunto.

Entre os documentos catalogados, constam contratos com os médicos Danilo Cardoso e Deivid Costa Cardoso Dourado, no valor de R$ 871.039,00 (oitocentos e setenta e um mil e trinta e nove reais). Heliofabio Cardoso Dourado, por prestação de serviços de carro de som, tem contrato de R$ 240.000,00 (duzentos e quarenta mil reais), Cassiano Mille Cardoso Dourado conseguiu benefício de R$ 120.000,00 (cento e vinte mil reais) e Eliene Cardoso Dourado tem três imóveis alugados, dois para o setor de merenda escolar e outro para a secretaria de saúde, com valores que somam R$ 126.000,00 (cento e vinte e seis mil reais).

Entre os comissionados, servidores nomeados pela Prefeitura, constam diversos membros da família, que é uma das mais ricas da cidade e que gozam dos melhores salários dos órgãos do município. Dentre eles, para não citar todos, contam: Alana Cardoso Dourado com R$ 121.000,00 (cento e vinte e um mil reais) recebidos no período de 2017 a setembro de 2020; Diego Cardoso Dourado recebeu R$ 293.000,00 (duzentos e noventa e três mil); Glênia Salum Cardoso Araújo, tem soma de salários no mesmo período, que totaliza R$ 159.280,00 (cento e cinquenta e nove mil, duzentos e oitenta reais); João Alberto Cardoso D. Filho R$ 122.863,00 (cento e vinte e dois mil, oitocentos e oitenta e três reais); Paulo Cefas Nunes Dourado, R$ 292.160,33 (duzentos e noventa e dois mil, cento e sessenta reais e trinta e três centavos); Victor Cefas Salum Cardoso, R$ 318.240,00 (trezentos e dezoito mil, duzentos e quarenta reais) e Agamenom Cardoso Dourado Junior, R$ 216.000,00 (duzentos e dezesseis mil reais).


“Todas as pessoas são irmão, primos e primas de Diamerson Cardoso Dourado (Di Cardoso), principal articulador financeiro e coordenador da campanha eleitoral de 2016, que elegeu o atual grupo que governa o município. É Di Cardoso também, o mentor da distribuição de cargos e contratos para a família na prefeitura. Ele também recebeu sua fatia: R$ 78.850,00 (setenta e oito mil, oitocentos e cinquenta reais) foi o valor recebido por Di Cardoso, por 13 meses de atuação como agente político na prefeitura”, afirmam os vereadores.


No total, são 21 membros da família empregados com os mais altos salários, e alguns que não estão empregados, tem contratos de locação de imóveis e contratação de serviços. “Não estão todos na planilha, estamos cruzando informações, mas as cifras dos contratos com vigência até dezembro deste ano podem chegar a mais de R$ 5 milhões de recursos que a prefeitura paga à família Cardoso”, apontam os vereadores.

“Não temos dúvida nenhuma de que recursos destinados à família Cardoso, beneficiária de contratos e empregos com generosos investimentos financeiros, seriam melhor aplicados em obras estruturantes, serviços de saúde, assistência social e moradia para a população que mais precisa”, ponderam os vereadores, chamando a atenção para o carro de som. “São R$ 12.000,00 (doze) mil reais por mês. O carro todo não vale R$ 60 mil e a prefeitura já pagou por serviços, R$ 240.000,00 (duzentos e quarenta mil reais) ao parente de Di Cardoso. Enquanto isso faltam medicamentos e exames para a maioria da população”, concluem.


Di Cardoso: “tem que perguntar à gestão responsável”

Procurado pela redação do site Cultura&Realidade, ao qual foi informado parcialmente do teor desta matéria, Di Cardoso, PL, apontado pelos vereadores como o articulador do acesso dos seus familiares nas entranhas do governo, não quis falar sobre o assunto, resumindo-se em dizer que “esse assunto tem que perguntar a gestão responsável”.
A mesma abordagem foi enviada ao Secretário de Governo, Paulo Cefas, mas até o momento da postagem desta matéria, a redação não recebeu nenhum retorno.

Dono da veraneio avaliada em R$ 30 mil, Heliofabio teve seu contrato aditivado por três vezes seguidas, totalizando R$ 240 mil – Foto: Câmara de Vereadores/Ascom Bancada da Oposição
Di Cardoso, articulador da família na estrutura da Prefeitura de Joao Dourado – Foto: Facebook

(*)Assessoria de Comunicação da bancada de vereadores da oposição

ATUALIZADA EM 07/09, ÀS 08:28

Deixe uma resposta