Golpe do “Auxílio Emergencial” chega a Jussara, com cadastros de parentes do prefeito Hailton Dias

GOLPE NO AUXÍLIO EMERGENCIAL:
GOLPE NO AUXÍLIO EMERGENCIAL: "Vamos amanhã entrar com pedido de invetigação", disse o prefeito Hailton Dias - Imagem: Ilsutração/Redes sociais
DA REDAÇÃO | Agência Vitória

Um golpe que tem sido comum em várias regiões do Brasil, inclusive vitimando pessoas em Irecê, Ibititá, Xique-Xique e Presidente Dutra, foi aplicado em Jussara. Lá, dentre outros nomes ligados à família do atual prefeito Hailton Dias, constam Hugo Franklin Chagas Dias, seu filho e o pré-candidato a prefeito Thiago Mendes Rocha, inclusos no cadastro do programa de “Auxílio Emergencial” do Governo Federal. Eles negam ter feito o próprio cadastro.
“Fui surpreendido com a notícia de que meu nome está incluso na lista para receber auxílio do governo federal. Não faz nem sentido uma coisa desta. Primeiro porque todos sabem que mesmo frente às dificuldades que todos estão enfrentando, ainda posso sobreviver sem auxílio de política pública. Depois, estou pré-candidato a prefeito e isso seria um escândalo. Por tudo isso, não faz sentido. Trata-se de um golpe de criminosos do sistema financeiro, ou político. Vamos investigar”, disse Thiago Mendes.
O prefeito Hailton Dias informou que nesta segunda-feira, 20, vai adotar todas as medidas cabíveis junto aos órgãos responsáveis, inclusive a Policia Federal, para que sejam feitas investigações minuciosas, para se saber de qual IP (aparelho eletrônico) foram feitos os falsos cadastros.
“Espero que tenha sido apenas um erro do sistema e que seja corrigido pelos responsáveis, ou, em caso de crime, os bandidos sejam identificados e punidos. Me recuso a acreditar que tenha sido uma ação política para me prejudicar”, disse o prefeito.
Segundo o secretário de governo do município, Emanuel Rocha, “em nenhum dos casos houve crédito do benefício nas contas pessoais das vítimas, e ainda, não se sabe se foi transferido para conta de terceiros, através de aplicativo de acesso à conta digital. Caberá à polícia identificar o que aconteceu com o benefício”, afirmou.

Deixe uma resposta