Ex-ministros de Bolsonaro defendem operação Lava Jato

DA REDAÇÃO | Poder 360

O ex-juiz e ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro compartilhou nas redes sociais o vídeo de uma passeata em defesa da operação Lava Jato, neste domingo (6.set.2020).

Em entrevista publicada neste domingo (6.set.2020) pelo jornal Correio Braziliense, Moro disse que a força-tarefa está ameaçada e depende de ação mais incisiva da PGR (Procuradoria Geral da República).

Para Moro, a intenção de opositores à força-tarefa é “dificultar a investigação e a punição dos crimes de corrupção para tentar que tudo volte a ser como antes, tendo a impunidade como regra”.

O ex-ministro da Secretaria de Governo general Santos Cruz também saiu em defesa da operação. Afirmou, por meio do Twitter, que a Lava Jato “trouxe esperança de que era possível combater a corrupção no Brasil”.

“A percepção de enfraquecimento da Lava Jato é motivo de desilusão e decepção”, acrescentou o ex-integrante do governo.© reprodução/Twitter


Baixas na operação

Deltan Dallagnol deixou a coordenação em Curitiba para, segundo ele, cuidar da saúde de sua família.

“Por todo esse período, enquanto Coordenador dos trabalhos, Deltan desempenhou com retidão, denodo, esmero e abnegação suas funções, reunindo raras qualidades técnicas e pessoais. A liderança exercida foi fundamental para todos os resultados que a operação Lava Jato alcançou, e os valores que inspirou certamente continuarão a nortear a atuação dos demais membros da força-tarefa, que prosseguem no caso”, disse o MPF em nota.

Em São Paulo, 7 procuradores abandonaram a operação. A debandada foi por desavenças com a procuradora Viviane Oliveira Martinez. Ela é a chefe do 5º Ofício da Procuradoria da República em SP. O órgão é o responsável pela Lava Jato no Estado.


Atos pró-Lava Jato pelo país

Mais cedo, apoiadores da Lava Jato realizaram uma carreata a favor da força-tarefa em diversas cidades, incluido Brasília.

As manifestações são realizadas depois de o procurador da República Deltan Dallagnol deixar a coordenação da Lava Jato no Paraná e procuradores em São Paulo deixarem a força-tarefa com pedido de demissão coletiva.

Veja aqui algumas imagens do ato realizado na capital federal. As imagens foram capturadas pelo repórter fotográfico do Poder360, Sérgio Lima.

Deixe uma resposta