Autoridade do jogo entre PSG e Instanbul comete ato racista e jogadores se recusam a continuar partida

Em jogo que aconteceu no fim da tarde desta terça-feira, jogador do Instanbul Pierre Webo, da comissão técnica do time turco, acusa o quarto árbitro Sebastian Coltescu de ato racista e atletas se recusam continuar o jogo

DA REDAÇÃO | Cultura&Realidade

Após uma ação racista do quarto árbitro romeno Sebastian Coltescu contra camaronês Pierre Webó nesta terça-feira (8), ex-atacante e membro da comissão técnica da equipe turca, jogadores do PSG e do Istanbul Basaksehir deixaram o gramado do estádio no meio do primeiro tempo e se recusaram a retornar até que o ofensor se retirasse do campo.

Após duas horas de suspensão, a Uefa anunciou que o jogo será disputado nesta quarta-feira, às 14h55 (de Brasília), com uma nova equipe de arbitragem. O confronto será retomado a partir dos 13 minutos do primeiro tempo, momento em que a confusão começou nesta terça.

Camaronês Pierre Webó discute com quarto árbitro Sebastian Coltescu e ouve do romeno: "Vai embora, preto" — Foto: Reuters
Camaronês Pierre Webó discute com quarto árbitro Sebastian Coltescu e ouve do romeno: “Vai embora, preto” — Foto: Reuters

O tumulto se iniciou quando o lateral brasileiro Rafael, do Istanbul, foi punido com cartão amarelo. Membros da equipe turca reclamaram bastante da punição. Nesse momento, segundo relato de jornalistas romenos, o quarto árbitro Sebastian Coltescu chamou o juiz principal, Ovidiu Hategan, e pediu punição a Pierre Webó. Ele disse o seguinte:

“Aquele preto ali. Vá lá e verifique quem é. Aquele preto ali. Não dá para agir assim”, disse Coltescu, a Hategan, ao se referir ao camaronês da comissão técnica do Istanbul.

O quatro árbitro romeno Sebastian Coltescu, autor da ofensa racista em direção a Pierre Webó — Foto: Ian Langsdon/EFE
O quatro árbitro romeno Sebastian Coltescu, autor da ofensa racista em direção a Pierre Webó — Foto: Ian Langsdon/EFE

Webó se revoltou e questionou Coltescu por várias vezes: “O que você falou? Por que você falou preto?”. O árbitro principal, Ovidiu Hategan, se aproximou e deu um cartão vermelho em direção ao camaronês. A partir daí, a revolta dos membros da comissão técnica e reservas do Istanbul Basaksehir ficou maior.

Dirigentes das duas equipes foram ao gramado para entender a situação, e os atletas de PSG e Istanbul Basaksehir decidiram abandonar a partida. Nas redes sociais, o clube turco publicou uma mensagem de combate ao racismo, republicada pelo perfil do Paris.

A transmissão da partida flagrou um diálogo forte do atacante senegalês Demba Ba em direção ao quarto árbitro Sebastian Coltescu no qual ele expõe toda sua revolta:

Você nunca diz “esse cara branco”, você diz “esse cara”. Então por que você está mencionando “cara preto”? Você tem que dizer “esse cara preto”? Por quê?!”

— Demba Ba, ao quarto árbitro Sebastian Coltescu

A transmissão oficial da partida também flagrou o momento em que os atacantes Mbappé e Neymar deixaram claro para o juiz Ovidiu Hategan que não voltariam para o jogo, caso o quarto árbitro Sebastian Coltescu continuasse em campo.

Não vamos jogar. Não podemos jogar. Com esse cara (quarto árbitro) aqui, não vamos jogar

— Mbappé, ao árbitro Ovidiu Hategan, antes dos dois times deixarem o campo
A Uefa chegou a marcar o recomeço da partida para as 18h (de Brasília). O time do PSG foi para o túnel dos vestiários que dá acesso ao gramado, mas o Istanbul Basaksehir, segundo informações de jornalistas presentes no Parque dos Príncipes, se recusou a terminar a partida.

Após longa indefinição, a entidade anunciou às 19h15 o adiamento do jogo para quarta-feira, às 14h55, com uma nova equipe de arbitragem. A Uefa informou que abrirá imediatamente uma investigação sobre o caso. “O racismo e a discriminação em todas as suas formas não têm lugar no futebol”, diz comunicado oficial.

Com informações: GE

Deixe uma resposta