A partir desta quinta-feira (12/11), os combustíveis gasolina e diesel passam a ser mais caros

Petrobras anuncia reajustes de 6% para gasolina e de 5% para diesel. Aumento segue valorização do petróleo no mercado internacional

DA REDAÇÃO | Correio Braziliense

Quem já está assustado com os preços dos combustíveis deve preparar o bolso: a Petrobras anunciou reajuste de 6% no valor da gasolina nas refinarias e de 5% no litro do óleo diesel. Os novos preços entrarão em vigor nesta quinta-feira (12/11).

Os donos de postos já avisaram que não se intimidarão em repassar, integralmente, os aumentos para as bombas. Afinal, o consumo de combustíveis voltou a crescer, quase retornando aos níveis pré-pandemia.

“Com o consumo se recuperando, fica mais fácil repassar os aumentos para os consumidores”, diz um gerente de posto. “Essa é a lei do mercado. As margens dos postos andam muito baixas. Portanto, temos que manter a rentabilidade mínima dos empreendimentos”, acrescenta.

A Petrobras apresenta como justificativas para os mais recentes aumentos de preços de combustíveis no país a disparada dos preços do dólar e a recuperação da cotação do petróleo no mercado internacional.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e de Lubrificantes do Distrito Federal (Sindicombustiveis-DF), Paulo Tavares afirma que aumento é “discutível”. “Vocês vão reparar que, com a eleição nos Estados Unidos, o barril do petróleo deu uma estacionada e o dólar despencou. Então, o governo vem praticando a sua política de preços, 100% atrelada ao preço do mercado. É preciso entender o que o governo quer com essa política. Se as tendências são de baixa, por que ele faz um aumento agora de 10 centavos tão alto?”

E continua: “Às vezes, o preço está lá em cima, e o dólar vem e baixa o preço. Na minha concepção, tenho percebido que o governo está fazendo uma intervenção na Petrobras, pois eles não estão adotando a política que seria 100% atrelada ao mercado internacional, seja para cima ou para baixo”.

Deixe uma resposta