file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Irecê e Região

Vereadores de oposição demonstram reação em Irecê

Cultura&Realidade - 13 de Dezembro de 2018

file-2018-12-13153008.457100-adf62478-0223-4ccc-b72d-74b42399e8dc1e642c76-ff05-11e8-9991-f23c917a2cda.jpg

Última Sessão Ordinária de 2018 Foto: Gilberto Neiva

A Câmara Municipal de Irecê realizou nesta quinta-feira (13/12) a última Sessão Ordinária do ano. Decana da casa, com 8 mandatos, Valdereis Ferreira Lopes apresentou uma moção de repúdio a Secretária de Saúde Dulce Barreto. “Esta é a segunda vez que vou a Secretaria e presenciei como o ser humano é tratado neste setor, meu repúdio a esta Secretária!”, disparou Valdereis.

“Faltam exames, medicamentos, me parece que o Ministério Público não está ajudando. A questão da saúde das mulheres é grave com o câncer de mama. O dinheiro público é nosso, é do povo de Irecê”, pontuou. Tertuliano Leal, líder do Governo na Câmara e membro da Comissão de Justiça e Redação contra argumentou para que a moção de repúdio fosse revista, em sua redação, junto com Murilo Franca, relator da Comissão de Justiça e Redação mas não adiantou. “Eu não quero mudar a redação”, foi o ultimato de Valdereis. Por 7 votos a 4, a moção foi aprovada.

Consuelo Dourado também mostrou preocupação com a situação da saúde em Irecê. “Há unidades de saúde sem medicamento. Saúde deve ser prioridade. A Unidade Satélite do Baixão de Zé Preto está desativada. Ninguém tá pedindo. Isso é um direito que nos assiste”.

Única vereadora ausente na Sessão, Margarida Cardoso foi citada por Toinho do Judô, de que o convite já fora feito várias vezes por ela para que a Secretária de Saúde use a tribuna do Legislativo e explique sobre a questão da saúde do município. Valdereis Lopes pediu que a moção de repúdio chegasse ao Prefeito e ao Governador Rui Costa, a nota fala inclusive em “desvio de recursos públicos”.

O Projeto de Lei que cria o Dia Municipal do Judô foi apresentado por Antônio de Jesus, aprovado por unanimidade e acompanhado por Senseis e lutadores da arte marcial.

Foi aprovado também o Projeto de Lei que dispõe de isenção de IPTU – Imposto Predial Territorial Urbano para pessoas com doenças graves.

O Projeto de Lei para criação de banheiros públicos em eventos públicos para pessoas com deficiência, de autoria de Meire Joyce também foi aprovado por unanimidade.

O Projeto de Lei que cria a Procuradoria Especial da Mulher em Irecê, apresentado por Consuelo Dourado foi aprovado.

O Projeto de Lei que cria a Escola Cívica Brasileira com atuação em Umbuzeiro, de autoria de Fabiano Bia, foi aprovado. Fabiano Bia também indica ao Governador Rui Costa a abertura de posto avançado do INEMA em Irecê, que está em Seabra.

O Projeto de Lei que cria o Dia Municipal da Juventude também foi aprovado, com a presença do Movimento Coletivo Jovem, para cada 3º domingo de cada ano. Murilo Franca sugeriu a criação do Conselho Municipal da Juventude para um maior aprofundamento das discussões.

Taíse Torres recebeu uma moção de aplauso por seu projeto social desenvolvido com o Pedal Beneficente pela luta que ela abraçou para parar de fumar e ajudar o próximo.

O Projeto de Lei que cria o Fundo Municipal da Educação não foi aprovado. Léo da Unibel, líder da bancada de oposição pediu a retirada da pauta. “Convidamos o Secretário de Educação para usar a tribuna e nos falar sobre a Educação de Irecê e ele não compareceu”, pontuou. O projeto foi reprovado por 7 votos a 5.

A última Sessão Ordinária de 2018 se revelou desafiadora para o Prefeito Elmo Vaz, pois perdendo a maioria na Câmara, haverá dificuldades em aprovar projetos do Executivo e o diálogo será um caminho necessário.

Da redação, com informações do site Irecê Press