BRASIL

Sócios de cooperativa agrícola dividem valor quatro vezes maior que o da Mega Sena

Cultura&Realidade - 16 de Dezembro de 2019 (atualizado 16/Dez/2019 15h31)

file-2019-12-16152441.097006-Sem_titulo-15348b27e-2031-11ea-a930-f23c917a2cda.jpg

O valor  é uma espécie de lucro líquido da cooperativa, que no setor é conhecido como sobra e é dividido entre os produtores, já que todos são donos da cooperativa. -  Foto: Ilustração

A Coamo Agroindustrial, maior cooperativa da América Latina, com sede em Campo Mourão (Paraná) e mais de 29 mil produtores rurais associados nos estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, iniciou a distribuição entre seus cooperados nada mais nada menos que R$ 100 milhões referentes às sobras financeiras de 2019. O valor é quatro vezes maior que o ofertado pelo concurso da Mega-Sena.

O valor tem sido dividido entre os cooperados de forma simultânea e proporcional ao volume de entrega de produtos para comercialização, como soja, milho e trigo, além da aquisição de insumos como fertilizantes. Ou seja, não é uma quantia igual para todos. Quanto mais o produtor usa a cooperativa para suas transações ao longo do ano, maior foi o valor que recebido de sobras.

Presidente da Coamo (à direita), José Aroldo Gallassini, recebe associados na sede da Coamo, em Campo Mourão. (Foto: Divulgação/Coamo)

O valor  é uma espécie de lucro líquido da cooperativa, que no setor é conhecido como sobra e é dividido entre os produtores, já que todos são donos da cooperativa. Por ser uma 'lei' no sistema cooperativista, os produtores consideram o pagamento como um 13º salário. Em fevereiro eles recebem outra parte das sobras, após a realização de uma nova assembleia geral com os cooperados e a definição dos repasses. No início deste ano, a segunda parcela das sobras, em fevereiro, somou R$ 254 milhões e a primeira parcela, paga em dezembro de 2018 foi de R$ 104 milhões.

Da Redação, com informações do Globo Rural