file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Cultura, Esporte e Lazer

Sérgio Manoel, o bom baiano que foi se criar no interior de São Paulo

30 de Novembro de 2016 (atualizado 08/Fev/2017 00h55)

file-2017-02-07225525.726437-serginho-1146f090fa-ed99-11e6-9b7d-047d7b108db3.jpg
Foto: o atleta Sérgio Manoel, natural de Xique-Xique/BA (Divulgação)
 
Por Adriana Brito
 
Sérgio Manoel nasceu dia 08 de setembro de 1989 em Xique-Xique, no interior da Bahia. Era filho de Solange Barbosa que atualmente morava com o atleta em Chapecó-SC e ‘Gilson Taxista’ que reside atualmente em Barra-BA. Em Xique-Xique Sérgio Manoel passou em escolinhas de ‘Miguelinho’ e ‘Ninho’. Em 2005 seguiu para Itapevi-SP onde fez testes e foi aprovado no time do Nacional por 4 anos, começando alí sua trajetória profissional.
 
Sérgio Manoel disputou muitos campeonatos de divisões inferiores no interior paulista. Foi assim em 2009 no Atlético Araçatuba-SP, em 2010 no Batatais-SP. E foi na temporada 2010-2011 que seu futebol começou a se destacar atuando pelo Mirassol-SP onde disputou a elite do Paulistão em 2011, chegando a ser escolhido entre os 22 atletas da seleção do campeonato paulista. Graças a seu bom futebol chamou a atenção do Corinthians, mas o jogador acabou fechando contrato com o Coritiba onde atuou de 2012 a 2014.
 
No Coritiba, Sérgio Manoel teve dois graves problemas de contusão onde ficou afastado dos gramados por pouco mais de 1 ano. Nesse período afastado sofreu com o medo de não poder voltar a atuar, mas a luta de ‘Serginho’ foi recompensada em 2014, quando o Atlético de Goiás o contratou para disputa do campeonato Goiano. Em 2015, Sérgio Manoel disputou o campeonato Paraense pelo Paysandu. No início deste ano de 2016 fechou contrato com o time do Água Santa-SP onde disputou a elite do futebol paulista pela segunda vez onde se destacou chamando a atenção de times como a Chapecoense para a disputa do Campeonato Brasileiro. Sérgio Manoel e todo o time da Chapecoense de destacavam no Campeonato Brasileiro, além do time ser finalista da Copa Sul-americana.
 
Na madrugada desta terça-feira (29), o Brasil despertou sob o impacto de uma notícia trágica, que abalou o esporte e o país inteiro, e que recebeu manifestações de solidariedade ao redor do planeta. O avião que levava o time da Chapecoense para a sua primeira participação numa final da Copa Sul-Americana caiu numa área montanhosa, perto da cidade de Medellín, na Colômbia. Setenta e uma pessoas morreram. Dezenove eram jogadores além de jornalistas de vários veículos que acompanhavam a equipe.
 
O avião caiu numa área conhecida como cerro El Gordo, uma região montanhosa a cerca de 30 quilômetros do aeroporto. Eram quatro e dez da manhã, quando a TV Globo interrompeu a programação para anunciar o acidente. O aeroporto onde o piloto tentou fazer o pouso de emergência era José Maria Córdoba. O aeroporto fica a pouco mais de 30 quilômetros do local do acidente. Isso significaria mais ou menos cinco minutos de voo até lá. As caixas-pretas da aeronave já foram encontradas pelos investigadores. Os dados e as gravações das conversas na cabine vão ajudar a esclarecer as causas do acidente. Segundo a imprensa colombiana a identificação de todos os corpos pode durar até três dias. A família de Sérgio Manoel divulgará sobre seu sepultamento assim que tiver a liberação do corpo confirmada. A prefeitura de Xique-Xique decretou três dias de luto oficial.