IRECÊ

Saiba como foi o primeiro dia de atividades econômicas liberadas parcialmente em Irecê, nesta sexta-feira, 27

Cultura&Realidade - 27 de Março de 2020

file-2020-03-27203118.327467-vieira0f05a4a8-7083-11ea-a930-f23c917a2cda.jpg

Lotéricas registraram maior movimento, sem cumprimento das normas de prevenção à saúde - Foto: Vieira dos Santos

 

Da Redação/Por Vieira dos Santos

 

Depois de sete dias, a cidade de Irecê viveu, nesta sexta-feira, 27, seu primeiro dia de liberação parcial das atividades comerciais e de serviços, neste período de restrições das relações sociais como medidas protetivas contra o coronavírus.

Com o decreto 116/2020, o prefeito da cidade, Elmo Vaz, liberou especialmente os segmentos das cadeias de negócios da construção civil, do transporte de cargas e produção agrícola, escritórios de prestação de serviços e autônomos. Todas as outras atividades capazes de promover grande fluxo e aglomeração de pessoas e contatos mais diretos entre cliente e prestador, foram mantidas suspensas.

Em rápido passeio pela cidade, a reportagem do site Cultura&Realidade verificou uma movimentação tímida, com poucos veículos e maior volume de estacionamentos ocupados na praça da Igreja Católica, Praça da Caixa Econômica e próximo às casas lotéricas, locais onde predominam escritórios de profissionais autônomos.

REAPRENDIZAGEM - Nas casas de materiais de construção que estiveram abertas, o movimento foi fraco. Diomira Macêdo, da Organização Macêdo, informou que preparou toda a sua equipe para que se apresentasse aos serviços com as condições de saúde ideais de trabalho e que adotassem todos os procedimentos de prevenção, no atendimento aos clientes, com EPIs fornecidos pela loja.

Diomira disse que o movimento não foi bom, mas serviu para sinalizar para as pessoas que existe um mundo lá fora, que vai ser enfrentado após o período de isolamento social, e que todos vão estar mais preparados para lidar com novos desafios.

“A quarentena, não tenho dúvida, está servindo para nos preparar para novos contextos. Estamos passando por um processo de reaprendizagem sobre as nossas relações sociais, visão de mundo, reflexão sobre os diversos valores que envolvem a natureza do homem, do trabalho, da política, da solidariedade, da cooperação comunitária e familiar. O mundo será diferente depois da quarentena”, prevê a empresária que é kardecista e atua no Centro Espírita Jesus de Nazareth, em Irecê.

“NÃO ENTRO NESTA HISTERIA DE VOCÊS” - Nos ramos de oficinas mecânicas e autopeças, o movimento também foi insignificante. Muitas oficinas não abriram as portas, e as que funcionaram tiveram movimento abaixo do esperado.

Marcos Amorim, da Auto Center Estacione, disse que atendeu cerca de 40% da demanda habitual, na maioria clientes que não fazem parte da rotina da empresa. “Muitas pessoas de passagem, inclusive de São Paulo”, disse.

Questionado como se deu o atendimento, ele falou que foi normal. “Não tenho medo do coronavírus. É mais uma epidemia como qualquer outra, a exemplo da H1N1. Não entro nesta histeria de vocês”, disse ele.

FISCALIZAÇÃO – Outros segmentos não autorizados resolveram funcionar também, como sorveterias e lojas de eletroeletrônicos. Como já informado, as lotéricas foram os ambientes com maior volume de movimento, sem que as normas de seguranças estivessem sendo cumpridas a contento, e no momento da reportagem, não forma vistos fiscais monitorando o movimento.