file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Geral

Rejeição a Pascoal é demonstração de insensatez política

15 de Agosto de 2016

pascoal_elmo.jpg [caption id="attachment_1145" align="aligncenter" width="353"]Pascoal, o injustiçado. | Foto: divulgação Pascoal, o injustiçado. | Foto: divulgação[/caption] Por Rodrigo de Castro Causa espanto a decisão da coligação liderada pelo PSB de mudar o nome de seu candidato a vice-prefeito às vésperas do registro da candidatura junto ao Tribunal Superior Eleitoral. A convenção partidária realizada há cerca de dez dias elegeu o nome do vereador Pascoal Martins, líder do Partido Comunista do Brasil em Irecê, para a chapa da oposição. No entanto, a decisão colegiada se desvaneceu em um momento crucial. Pascoal era, até pouco tempo atrás, pré-candidato a prefeito de Irecê, levando adiante a construção política delineada pelo PCdoB em âmbito estadual e nacional, de ter mais candidatos em um cenário de enfraquecimento do Partido dos Trabalhadores (PT) causado pela crise política. Sua pré-candidatura, se não conseguia grande destaque nas pesquisas de opinião, possuia uma matriz bem estruturada, demonstrando mobilização de sua base partidária e sindical, espaço onde Pascoal desenvolve boa parte da sua atuação política. Com a união do bloco político representado pelo PCdoB/PT ao projeto do Partido Socialista Brasileiro (PSB), a escolha de Pascoal para compor a chapa era natural, embora outros nomes flutuassem no espectro de escolhas do grupo, que se tornou parrudo com a adesão de outras legendas e a migração de integrantes do PT para o PCdoB ocorridas no inicio deste ano. Para tal mudança ocorrer praticamente na linha de largada da campanha eleitoral (que começa amanhã, é bom frisar), fica claro que algumas forças dentro do grupo oposicionista nunca estiveram realmente de acordo com a escolha do vereador para o posto de vice. Não cabe nesse momento discutir as motivações do grupo na decisão, embora se especule que o empresariado que apoia Elmo tenha influído. Pascoal, independente de seus erros e acertos durante o período de pré-campanha, fortaleceu o seu partido no cenário político ireceense e passou a ser um nome que deve ser considerado no jogo. De certa forma, representou uma renovação no quadro de lideranças na cidade. Sua participação como vice seria a ratificação dessa construção. E um reconhecimento ao fortalecimento que trouxe, inclusive em matéria de votos, ao projeto socialista. Deve-se salientar também o legado histórico de Pascoal em sua trajetória como vereador. Ele se destaca por ser propositivo e combativo, se portando de maneira honrada na política e incentivando a participação popular no seu mandato. A essa altura, pouco importa a escolha do seu substituto. A insensatez da decisão já está registrada nos anais históricos.