IRECÊ

Presidente da Câmara de Irecê fala sobre conturbada reunião ocorrida nesta quarta, 18

Cultura&Realidade - 19 de Dezembro de 2019

file-2019-12-19190714.413325-paulinhoe9b82c36-22ab-11ea-b070-f23c917a2cda.jpg

Paulinho do Destak, presidente da Câmara de Irecê - Foto: Divulgação

Vereador Paulinho reafirma que atuará dentro da legalidade e que não traiu ninguém

Em sessão  extraordinária realizada nesta quarta-feira, 18, na Câmara de Vereadores de Irecê, as vésperas do recesso parlamentar,  para apreciação e votação da Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2020, numa sessão um tanto  conturbada, com troca de farpas, insinuações  e  acusações entre vereadores, o Orçamento para 2020 foi aprovado.

O ponto polêmico tratou-se de três emendas apresentadas pelos vereadores de oposição, que queriam assegurar o pagamento de 60% dos precatórios do Fundef aos professores, contrariado orientação do Tribunal de Contas da União, que proíbe uso do recurso para tal finalidade.  Ações tramitam no Supremo Tribunal Federal, ainda sem definição. Os 40% destes recursos, foram inclusos, e aprovados no Orçamento, podendo o executivo municipal investir no próximo ano como orienta o TCU, o restante ficará depositado em conta até decisão do STF. 

Segundo Paulinho do Destak, não se trata de ser contra os professores, como apregoam alguns vereadores e setores da imprensa sem escrúpulo. De forma alguma irá  ficar contra professores, jamais, que não se pode agir é de forma ilegal. "Precisamos agir com responsabilidade, não somos do quanto pior melhor. Vamos ser coerentes. O prefeito nos garantiu,  já foi declarado,  inclusive aos professores, vai utilizar 40% e 60% fica depositado, se STF decidir que deve pagar aos professores, será pago, e é o que nós queremos também. Reafirmo que meu compromisso é com o bem-estar de todos, é  com Irecê", declarou.

Por Ray Cruz