CORONAVÍRUS

Prefeitura de Jussara lançará campanha para socorrer vítimas sociais do coronavírus

Cultura&Realidade - 24 de Março de 2020

file-2020-03-24173121.200450-hailton6c3214d0-6e0e-11ea-b070-f23c917a2cda.jpg

Prefeito de Jussara Hailton Dias - Foto: Ascom/PMJ

Após avaliar com a equipe da secretaria de Desenvolvimento Social, coordenada por Denise Correia, o prefeito Hailton Dias decidiu criar o movimento solidário que visa atender às famílias, que por conta das medidas protetivas, contra o coronavírus/Covad19, em Jussara, passarão a enfrentar problemas sociais.

De acordo com a avaliação do prefeito e da secretária, muitas famílias que trabalhavam como diaristas, ou que vivem de pequenos negócios, de certo ficarão impedidas de ter acesso à renda para compra de suprimentos alimentares e alguns poderão ficar em dívidas nos mercados, sem ter como pagar.

“O governo federal está adotando política pública de socorro, mas até chegar na ponta, nas comunidades rurais mais distantes dos centros urbanos, muitas famílias estão passando fome”, avalia o prefeito.

Em razão deste cenário, a prefeitura está articulando com a Câmara de Vereadores as possíveis mudanças de dotações orçamentárias, para destinação de recursos que permitam auxiliar as famílias.

Paralelamente a isso, o prefeito vai lançar o movimento de doação espontânea para socorrer as vítimas sociais do coronavírus. “O movimento tem como finalidade arrecadar das pessoas que podem um pouco ou muito, doar para aquelas que no momento não tem nada”, explicou Hailton, que vai doar o seu subsídio (salário) de prefeito, referente ao mês de março, para a campanha, que deverá iniciar atendimento no início de abril, através da secretaria de desenvolvimento, social, que vai definir até semana que vem, os critérios e métodos de execução do movimento de arrecadação e distribuição às famílias que deverão ser atendidas.

“Esperamos contar com doações de várias pessoas, criadores, agricultores, comerciantes e autônomos. As arrecadações serão usadas para compras de cestas básicas, que serão entregues às famílias mais necessitadas, conforme avaliação das assistentes sociais”, afirma Denise Correia.

“Importante salientar que as aquisições das cestas básicas, tanto com recursos da campanha, como pelos recursos que serão relocados dos orçamento municipal, serão integralmente feitas no comércio local, respeitando as normas de licitação, como forma de dar um gás aos comerciantes que estão sendo sacrificados com seus estabelecimentos fechados”, explica o secretário de governo, Emanuel Rocha.

Fonte: Ascom/PMJ – Agência Vitória