file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Saúde

População de João Dourado sofre sem ambulância do SAMU

05 de Abril de 2017 (atualizado 27/Jun/2017 11h41)

Serviço deixou de funcionar no dia 4 de março

Foto: Ambulância do serviço SAMU não atende a população de João Dourado desde o início do mês passado (Sertão Baiano)

Foto: Ambulância do serviço SAMU não atende a população de João Dourado desde o início do mês passado (Sertão Baiano)

Do Sertão Baiano

A única ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) do município de João Dourado, Região de Irecê, está fora de operação desde o último dia 4 de março, ocasião em que a Secretaria Municipal de Saúde emitiu comunicado informando que o veículo havia sido encaminhado “para manutenção em oficina especializada”. Nesta quarta-feira (05), em discurso na Tribuna da Câmara Municipal, o vereador Carlos Átila (PMDB) denunciou o fato e cobrou providências ao prefeito Celso Loula Dourado (PT). “Já estamos há mais de um mês sem atendimento e até agora nada foi feito”, lamentou. 

Em conversa com a reportagem do Sertão Baiano, o vereador Cristiano Oliveira (PMDB), popularmente conhecido como Kita de Julho Rato, se mostrou revoltado com a “falta de humanidade” da gestão municipal e fez uma revelação: “mesmo com o SAMU sem funcionamento, os recursos oriundos do Governo Federal continuam entrando normalmente na conta da Prefeitura”.

Foto: Local onde a ambulância do SAMU fica de prontidão está sendo usado como estacionamento (Sertão Baiano)

Como pode ser visto na imagem em destaque, na sede do SAMU em João Dourado, a garagem onde deveria ficar a unidade móvel está sendo usada como estacionamento. Em outra imagem, conseguida com exclusividade pela reportagem, é possível identificar que o último paradeiro da ambulância foi o pátio do Setor de Transportes do município, localizado às margens da BA-052 (Estrada do Feijão). 

Foto: por meio de sua página no facebook, a prefeitura anunciou que o equipamento foi enviado para "manutenção especializada" (Reprodução)

A situação gerou protestos até mesmo em meio à base aliada do Governo na Câmara Municipal: a vereadora Rosângela Cardoso (PSB) foi a primeira a se manifestar. “O SAMU não pode parar”, protestou. Ela também cobrou uma ação efetiva por parte da Secretaria Municipal de Governo em relação aos Pedidos de Providência encaminhados pelo Poder Legislativo. O vereador João Rumão (PT), que pertence ao mesmo partido do prefeito, também endossou a solicitação: “precisamos de respostas”. 

Fato concreto é que desde o dia 4 de março a população de João Dourado está desassistida no que diz respeito aos atendimentos de urgência e emergência realizados pelo SAMU 192. Entre as pessoas que foram negligenciadas, destaque para o vice-prefeito Adriano Alves Nunes, vítima de acidente fatal no último dia 29, que - sem o serviço especializado - esperou por cerca de uma hora até ser socorrido por uma ambulância convencional.