Irecê e Região

O corpo da idosa de Ibipeba deixa o HRI, direto para o cemitério da Remanga, em Ibipeba, sem despedida da família

Cultura&Realidade - 29 de Março de 2020 (atualizado 29/Mar/2020 14h57)

file-2020-03-29134024.084341-hrifcc6a8b4-71db-11ea-a930-f23c917a2cda.jpg

Hospital Regional de Irecê, referência para os casos do coronavírus, ainda não sabe a verdadeira causa da morte da idosa de Ibipeba - Foto: Ilustração

Da Redação/Cultura&Realidade

 

Veio a óbito, na madrugada deste domingo, 29, a idosa residente em Ibipeba, que foi encaminhada para o Hospital Regional de Irecê, em estado crítico, com sintomas indicadores para complicações de saúde, provocadas pelo coronavírus/Covid19.

Familiares informaram, por volta das 10h30, que o corpo vai sair do Hospital Regional de Irecê, direto para o cemitério da Remanga, localidade de residência da paciente e seus familiares. Em áudio, um parente informou: “o secretário de transporte do município virá com equipe especializada da área de saúde. Não haverá velório”, disse.

O sepultamento sem o rito tradicional, obedece orientações das autoridades de saúde, uma vez que não se sabe a certeza da causa da morte. Desde o momento que a paciente deu entrada no HRI, que foi coletado o material e enviado para o Lacen – Laboratório de Análises de Saúde Pública do Estado da Bahia, em Salvador, onde está concentrado o centro de testagens dos casos suspeitos de Covid 19, de todo o estado.

A idoso tinha problemas crônicos de saúde e era hipertensa. Chegando ao Hospital Regional de Irecê, todas as medidas foram adotadas, considerando se tratar de uma vítima que teve seu estado de saúde agravado por contaminação do coronavírus/Covid 19.

Todos os familiares, ainda inconformados com o falecimento da parente, compreenderam a situação e se encontram em isolamento social, abdicando da despedida da sexagenária.

PREOCUPAÇÕES - A população da Faixa da Remanga, região de várias pequenas comunidades se encontra apreensiva. O mesmo sentimento ocorre na sede do município, onde as pessoas estão preocupadas e redobrando os cuidados.

As autoridades de saúde local redobraram as atenções de monitoramento.

Assim que encaminhou a paciente para o HRI, a secretaria de saúde do município emitiu nota informativa, expondo que se tratava de uma mulher com 66 anos, hipertensa com histórico de tabagismo por muitos anos, comorbidades associadas e que, 15 dias atrás teve contato próximo com uma familiar que reside em São Paulo.

NO HRI – Visitantes que se encontravam no interior do HRI observaram que os funcionários daquela unidade hospitalar, pouco antes da notícia da morte da ibipebense, começaram a receber orientações para ampliação dos cuidados, por conta da elevada suspeição para coronavírus no leito da mesma.

Pessoas que se encontravam na área externa do hospital regional, com sintomas leves de gripe, retornaram às pressas para suas casas, com receio, e agora aguardam em casa a evolução dos sintomas, ou recuo da condição gripal.