file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Festival Gastronômico Paladares do Sertão

Neusa diz que política de convivência garantirá futuro da população do semiárido

08 de Janeiro de 2016

Neusa.jpg [caption id="attachment_3466" align="aligncenter" width="500"]Neusa Cadore: "O Estado precisa implantar uma política eficiente que crie melhores condições de convivência com o semiárido e aproveitamento dos recursos de maneira sustentável. Com mais investimentos, gestão e planejamento vamos garantir um futuro melhor para essas populações". Deputada Estadual Neusa Cadore[/caption] Já está na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) o Projeto de Lei (PL) 21.718/2015 que institui a Política Estadual de Convivência com o Semiárido. A proposta do governo estadual tem como finalidade diminuir os efeitos da seca e das mudanças climáticas por meio da adoção de práticas de prevenção e adaptação. A deputada estadual Neusa Cadore (PT) comemorou a apresentação do projeto. Neusa destacou a construção coletiva feita pelo Estado com apoio das organizações da sociedade civil e disse que a proposta é um avanço importante para a população. "O Estado precisa implantar uma política eficiente que crie melhores condições de convivência com o semiárido e aproveitamento dos recursos de maneira sustentável. Com mais investimentos, gestão e planejamento vamos garantir um futuro melhor para essas populações", afirmou Neusa. A iniciativa tem como objetivo assegurar o desenvolvimento das populações do semiárido, considerando e integrando os aspectos social, cultural, ambiental, econômico, étnico-racial, geracional e de gênero. Além disso, pretende fortalecer e promover a autonomia das pessoas que vivem nessas regiões por meio da inclusão socioprodutiva e geração de emprego e renda. O projeto prevê ainda a articulação, de forma integrada e transversal, o planejamento, a gestão e o monitoramento de planos, programas, projetos e ações governamentais para a promoção da convivência com o semiárido. Garantir acesso à água e a direitos  A Bahia tem mais da metade dos municípios no semiárido, 265 de um total de 417. Praticamente a metade da população também vive nessa região, cerca de 6,7 milhões dos baianos. Por isso, um outro objetivo é garantir o acesso à terra e à permanência das populações do semiárido em seus territórios. Mas um dos grandes desafios é a escassez de água. A ideia do governo é universalizar o acesso à água para o consumo humano, dessedentação animal e uso produtivo, com tecnologias apropriadas ao semiárido e capazes de garantir a segurança hídrica. A proposta quer articular políticas e garantir direitos como a promoção da soberania e segurança alimentar e nutricional, o acesso integral ao Sistema Único de Saúde, além de estimular a produção associada ao turismo e a geração de energia eólica, solar e por meio de biomassa no semiárido baiano. Mais participação  O PL foi elaborado a partir da realização, em 2014, Seminário Interestadual de Convivência com o Semiárido. Uma consulta pública também foi feita, além de várias atividades promovidas pelo Grupo de Trabalho instituído pela Governadoria. A deputada Neusa sempre cobrou a criação de uma política para o semiárido. Segundo a parlamentar essa é uma luta que partiu dos movimentos sociais e a implantação também precisa ser participativa. "Acompanhamos e cobramos a apresentação desse projeto a pedido das organizações sociais. Agora, precisamos assegurar a participação efetiva da sociedade na implantação, na gestão e no controle dessas políticas", ressaltou Neusa. Sistema Estadual de Convivência  Se aprovado, o projeto criará também o Sistema Estadual de Convivência com o Semiárido, composto pelo Fórum Estadual de Convivência com o Semiárido e por um Comitê Governamental. O Sistema será formado por instituições públicas, entidades privadas sem fins lucrativos e outras organizações da sociedade que serão responsáveis pela formulação, implantação e monitoramento da Política Estadual. Lino Filho - Ascom Neusa Cadore