Irecê e Região

Na região de Irecê, cinco mil irrigantes reclamam da qualidade de energia nas propriedades rurais

Cultura&Realidade - 19 de Fevereiro de 2019 (atualizado 19/Fev/2019 18h33)

file-2019-02-19182223.475630-747f87a5-e166-4eaf-95d3-05b1552b6cd572a16d8c-348c-11e9-87b9-f23c917a2cda.jpg

Na região de Irecê, cerca de 20 mil trabalhadores dependem da irrigação para viverem - Foto: Ilustração

Cerca de 5.000 produtores irrigantes, que geram cerca de 20 mil postos de trabalho, na região de Irecê, estão reclamando da qualidade de energia que chega nas suas propriedades. “Estamos pagando caro pelo produto que infelizmente não é suficiente. Aqui em casa só dá para ligar a TV e uma geladeira. Se ligar a forrageira ao mesmo tempo, desliga tudo”, afirma Dalton Almeida, de um povoado rural de Uibaí.


De Cafarnaum, um dos municípios onde a atividade rural irrigada vem crescendo nos últimos anos, Daniel Macambira disse que “está difícil irrigar molhar a roça. A bomba não segura armada”, informou.


Irrigante em Canarana, Cláudio Almeida disse que “toda a região de Irecê, há muito tempo, vem sofrendo, principalmente o pessoal que trabalha com agricultura irrigada”, afirma.


Luiz Abel, produtor de melancias em América Dourada, disse que chegou a comentar com seu filho que “o problema iria se agravar com o aumento do plantio da atual safra em todas as propriedades, muita acima da capacidade da energia fornecida”.


A situação é crítica em todos os municípios, especialmente em João Dourado, América Dourada, Lapão, Ibipeba, Ibititá, Canarana, Barro Alto e Cafarnaum. Um documento entregue ao presidente do Sistema Faeb/Senar, Umberto Miranda e aos deputados estaduais Jacó Lula da Silva (PT) e Fabíola Mansur (PSB), pelo Coordenador Territorial do Sistema Faeb/Senar, João Gonçalves, aponta os problemas e pede providências.


FALA DO GESTOR DA COELBA - A reportagem falou nesta terça-feria, 19, com Leonardo Matos, gestor de atendimento para a região de Irecê. Ele informou que até o presente momento não tinha reclamações e que está a disposição dos produtores para diagnóstico e busca de solução. “Estou à disposição para avaliar e resolver a necessidade dos produtores das regiões apontadas”, disse acrescentando ainda que em 2016 ocorreram algumas reclamações em Lapão e foi construída uma nova subestação próximo a Irecê, para atender demandas de algumas sedes municipais e comunidades rurais.