IRECÊ

Município fecha comércio e agora só funcionam os essenciais; prefeito promete sanções aos desobedientes

Cultura&Realidade - 15 de Abril de 2020 (atualizado 15/Abr/2020 17h44)

file-2020-04-15135546.735084-elmof3bde442-7f39-11ea-9325-f23c917a2cda.jpg

Elmo Vaz promete intensificar controle sanitário na cidade. A partir desta quinta-feira, maior número de atividades econômicas fechadas e rigor na fiscalização e barreitas de monitoramento -  Foto: Print/Live

Da Redação

Irecê anunciou em live transmitida pela página oficial de Facebook da prefeitura, novas orientações restritivas nas relações sociais e comerciais no município e o cancelamento do decreto 144/2020, que ampliou, na última segunda-feira, 13, a flexibilização de atividades econômicas e religiosas.

A medida já era prevista pelo prefeito Elmo Vaz, quando dos anúncios dos decretos anteriores. O gestor condicionou todas as medidas já utilizadas, às eventuais ameaças à saúde pública, a exemplo do caso positivo divulgado na noite desta terça-feira, 14.

Através da live, o prefeito lamentou a ocorrência de um caso positivo na cidade, pediu cautela às pessoas, pois todas estão vulneráveis e é hora de todos serem solidários e colaborativos.

Conforme disse, a partir da meia noite desta quarta-feira, 15, para quinta-feira, 16, só poderão funcionar farmácias, laboratórios de análises, clínicas médicas, clínicas veterinárias, borracharias, postos de combustíveis, oficinas, distribuidoras de gás e água, fábricas de qualquer natureza (sem atendimento ao público), lotéricas e bancos apenas para serviços essenciais, imprensa, mercadinhos, mercados e supermercados.

Os empreendimentos permitidos tem o dever de assegurar controle dos seus clientes para evitar aglomerações e ainda ofertar produtos de higiene, como álcool em gel ou estrutura de lavatório com água e sabão. Todos os empregadores serão obrigados a oferecer máscaras de proteção individual para todos os seus funcionários.

No caso de  mercadinhos, mercados, supermercados e hipermercados, além dos cuidados com a higiene dos seus clientes e empregados, serão responsáveis pela gestão de acesso dos seus clientes. “Não poderá ter mais que um cliente por 10m² e as filas deverão ser controladas pelos empreendimentos, mantendo a distância de pelo menos dois metros de uma pessoa para outra. Vem destes segmentos o maior número de denúncias por descumprimentos das normas sanitárias. Vamos ter que adotar medidas duras para que as condições de funcionamento sejam cumpridas. Se for o caso até com a suspensão dos alvarás”, disse o prefeito.

Os bancos e lotéricas também terão de fazer gestão de acesso dos seus clientes, garantindo distância de segurança entre os mesmos e oferecer produtos de higienização.

Alguns empreendimentos poderão funcionar em regime de delivery ou entrega na porta do estabelecimento, que deverá dispor de barreiras que impeçam o acesso. Neste critério, estão as farmácias veterinárias, revendas de bebidas, adegas, autopeças, material de construção, gráficas, restaurantes, lanchonetes, lojas de conveniências, pet shop, lavanderias e outras especificadas no decreto que será publicado ainda nesta quarta-feira.

Os demais segmentos permanecerão fechados, inclusive as academias de qualquer atividade física, exceto centro e consultórios de fisioterapia, auto escolas, redes de ensino pública e particular, clubes sociais, equipamentos públicos de lazer, bares, clinicas odontológicas (exceto para emergência) bancos de empréstimos consignados, lojas de roupas, confecções salão de beleza e estética, auto equipadoras, revendedoras e locadoras de veículos, livrarias e papelarias, produtos de festas e bomboniere, móveis e eletrodomésticos, lojas de produtos de cama, mesa e banho, eletroeletrônicos e lojas de departamentos.

As igrejas nem chegaram a fazer usufruto da autorização prevista no último decreto e já estão impedidas de reunir qualquer quantidade de pessoas, para qualquer atividade. Devem manter as portas abertas, caso queiram, mas sem atividade que promova aglomeração de pessoas.

Transporte de passageiros intermunicipal está também proibido. Nenhum veículo poderá prestar este serviço, de nenhum município do Território. “Vamos estabelecer barreiras sanitárias mais rigorosas”, disse Elmo Vaz.

 

O não cumprimento prejudica a segurança sanitária de todos, pondo em risco todos os esforços de proteção à saúde e a vida das pessoas. Vamos atuar com firmeza para garantir que se cumpra as condições estabelecidas. (Dulce Barreto)

 

A feira livre vai continuar, porém restrita a feirantes de Irecê, mesmo assim, apenas para produtos alimentícios, com bancas distanciadas em 3m entre si, devendo os feirantes fazerem uso de produtos de higiene e proteção pessoal. O município tem entregue máscaras a estes empreendedores.

Mais detalhes, no Decreto que será publicado hoje à tarde. Assim que o site Cultura&Realidade dispor do link, será postado aqui.

A secretária Dulce chamou a atenção para a necessidade da disciplina com as medidas preventivas como a higienização, uso de máscaras, isolamento social e a necessidade de cumprimento das normas. “O não cumprimento prejudica a segurança sanitária de todos, pondo em risco todos os esforços de proteção à saúde e a vida das pessoas. Vamos atuar com firmeza para garantir que se cumpra as condições estabelecidas”, disse.

O contato para denúncia, com direito a anonimato é o ZAP DENÚNCIA (74) 9 9810-0548 – através dos quais as pessoas podem fazer denúncias por desobediências ao Decreto Municipal.