SUCESSÃO 2020

Mulungu do Morro: pré-candidatos de oposição definidos, governistas devem anunciar esta semana

Cultura&Realidade - 27 de Abril de 2020

file-2020-04-27181028.461346-muungu8551544e-88cb-11ea-a930-f23c917a2cda.jpg

Praça do Tanque Grande, em Mulungu do MorroFoto extraída das redes sociais

Da Redação

A sucessão municipal entrou em "isolamento eleitoral" por ocasião da Pandemia do coronavírus/Covid-19, decretada pela Organização Mundial de Saúde. Com isso, todos os planejamentos estão sendo revistos e a própria eleição é uma incógnita.

Apesar das manifestações das autoridades de saúde, os desembargadores do Tribunal Superior Eleitoral - TSE, resistem em adiar o calendário eleitoral.

No máximo, ventilam a ideia de adiar o pleito para 15 de novembro deste ano, descartando qualquer possibilidade, por enquanto, em adiar para 2021, ou mesmo prorrogar os atuais mandatos e alinhar as eleições municipais às eleições nacional e estaduais.

Nos diversos municípios, o processo está frio, mas em movimento. Até o prazo limite de filiações, 4 de abril, muitas mudanças ocorreram. Alianças foram fortalecidas, outras fragmentadas e até desfeitas, em diversos lugares.

Em Mulungu do Morro, o prefeito Fredson Cosme (PSB) em seu segundo mandato, lidera um governo com alcance de 82% de aprovação popular, conforme as últimas pesquisas realizadas até o final de dezembro. Duas gestões seguidas não foram suficientes para que sofresse desgastes de ordem pessoal ou administrativa.

"De fato não é fácil chegar ao final de oito anos com uma aprovação positiva. Sou muito grato aos colaboradores do nosso governo, aos nossos vereadores, deputados e toda a população que se mantém em fé no nosso projeto. Mas não tem como não haver algum desgaste. Nem sempre podemos atender todas as demandas das comunidades e lideranças", salienta o gestor.

Ele não quis apontar nomes para sua sucessão. "Nosso grupo é muito rico de possibilidades, estamos ouvindo as lideranças, os amigos, consultando através de pesquisas e logo vamos anunciar. Todos os nomes do nosso grupo têm condições. Óbvio que todos sabem a minha preferência. Afinal, cada um tem uma preferência. Mas a minha decisão vai ser a partir do coletivo", ponderou.

Pela oposição clássica, estava bem colocado o pré-candidato "Neto Game", mas ganhou um concorrente às suas aspirações. Até o prazo limite de filiações ele navegava livremente como único nome no enfrentamento ao atual grupo mandatário, tendo diputado as duas últimas eleições contra o atual prefeito, mas Acássio Teles, até recentemente secretário de educação, resolveu concorrer com o mesmo na disputa pela candidatura oposicionista, ao filiar-se ao Partido dos Trabalhadores-PT, “sem dialogar com o partido ao qual se encontrava filiado, nem com os agentes políticos da base governista, assumindo, com a estratégia definida, carreira solo na sua perspectiva de disputa”, segundo dirigentes do PSB Municipal.

O ex-prefeito Ronilson Barbosa lamentou. "Fomos surpreendidos com a filiação de Acássio em outro partido, rompendo com a nossa base", salientou. Afirmando, entretanto, que "o grupo tem vários nomes e a chapa apoiada por Fredso, será competitiva", afirmou

O ex-prefeito também não quis adiantar indicativos de nomes, apesar das evidências. De acordo com levantamentos feitos pelo site cultura& Realidade, junto a diversos setores sociais, a sucessão em Mulungu do Morro caminha para uma definição até a pouco tempo inesperada.

Pelo lado governista, embora os principais líderes evitem adiantar, alegando que está em construção a definição do nome do grupo, é predominante, nos comentários populares, que a chapa seja formada por Edimário Boaventura, atual tesoureiro, com Elseclei Alves, secretário de administração na condição de vice, ou este encabeçando a chapa, com Edimário fechando a composição majoritária.

Edimário Boaventura e Elseclei deverão ser confirmados como chapa majoritária governista - Fotos extraídas das redes sociais

Em contato com os dois pré-candidatos governistas, eles parecem ter alinhado os discursos: “o nome que for indicado pelo grupo terá o meu apoio. Somos grupo”, concluíram, cada um com seu jeito de fala.

Acássio e Neto Game, oposição definida - Fotos estraídas das redes sociais

ALA DE OPOSIÇÃO

A reportagem também contatou com os nomes da corrente oposicionista, na semana passada. Neto Game disse que disputou contra o atual prefeito as duas últimas eleições, carregando consigo as ações de oposição. Porém, conforme justificou, “por diversas razões, até o final do ano passado não vinha mantendo agenda com previsão às disputas deste ano, até por uma questão estratégica, já que havia possibilidade de racha no grupo da situação”.

Para ele, a saída de Acássio Teles do grupo do prefeito Fredson Cosme foi o que a oposição desejava para então iniciar uma agenda de articulação, onde ele e o vereador Dai (PL) disputavam, segundo ele, a indicação para compor com o ex-secretário, a chapa majoritária oposicionista. A definição ocorreu neste domingo, 26. A oposiçã marcha com Acássio Teles pré-candidato a prefeito e Neto Game completa a chapa.

O professor Acássio confirmou sua filiação ao PT, como estratégia para manter o projeto de candidatura que pavimentou durante o período em que esteve secretário de educação, nomeado pelo atual prefeito. Sentindo que não seria ele o nome escolhido pelo grupo governista, rompeu e vem fazendo gestão de intensa agenda política, no intuito de consolidar o seu projeto.

Ele disse à reportagem que a sua “candidatura é independente, opositora ao candidato do atual gestor, com o apoio do PSD que sempre foi oposição no município e também do PL, que rompeu com o governo junto comigo”, informou.

Definida a chapa de oposição, a qualquer momento deve ser anunciada a do governo, para aquecer as agendas de pré-campanha.