file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Festival Gastronômico Paladares do Sertão

MP-BA recomenda efetivação de educação inclusiva nas cidades de Irecê, Jussara, Ibititá e Lapão

02 de Fevereiro de 2016

educação2.jpg [caption id="attachment_3717" align="aligncenter" width="450"]Imagem: Reprodução Imagem: Reprodução[/caption] O Ministério Público da Bahia (MP-BA), por meio da promotora de Justiça Mirella Barros Brito, recomendou aos secretários municipais da Educação, à diretoria do Núcleo Regional de Educação e aos dirigentes de estabelecimentos particulares de ensino das cidades de Irecê, Jussara, Ibititá e Lapão que garantam a promoção da educação inclusiva de pessoas com deficiência. A recomendação encaminhada na semana passada (25) considera a vigência, a partir de janeiro deste ano, da Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência, nº 13.146/2015. A promotora de Justiça recomendou que seja efetuada a matrícula no ensino regular de todas as pessoas que manifestarem interesse em estudar, independentemente da condição de deficiência física, mental, intelectual ou sensorial, e que lhes seja ofertado atendimento educacional especializado, de forma a atender suas necessidades específicas. Ainda de acordo com a recomendação, devem ser disponibilizados, nas unidades de ensino, intérpretes de Libras nas salas de aulas em que estudem alunos com deficiência auditiva. A recomendação prevê também a exigência, aos responsáveis pelos estudantes com deficiência, de relatórios de atendimento de saúde necessários ao desenvolvimento do aluno. Conforme a lei, o acesso de estudantes com deficiência não pode estar associado à cobrança de qualquer valor adicional nas mensalidades, anuidades ou no ato de matrícula.