BRASIL

Mourão se chateia após militares tentarem salvar sua vida

Cultura&Realidade - 19 de Março de 2019

file-2019-03-19151001.298315-7791a545-836c-45bb-a175-f130e2e86f323685ee58-4a72-11e9-8685-f23c917a2cda.jpg

Vice-Presidente Antônio Hamilton Martins Mourão Foto: Divulgação

Inveterado praticante de esportes, o vice-presidente da República, General Hamilton Mourão, passou um susto há dias e deixou os seguranças do Palácio do Jaburu apavorados. Fã de remo, ele conseguiu um barco para praticar braçadas no laguinho dos jardins do Palácio, mas um dia se desequilibrou, o barco virou e ele quase se afogou. No remo, é regra o praticante prender os pés em velcro no finca-pé, no fundo do barco, e o risco de afogamento é considerável se não houver prática. Apesar de Mourão ter sido ágil ao se se livrar do barco, ficou muito bravo ao ver militares auxiliares nadando ao seu encontro, preocupados. Deu uma bronca geral, dizendo-se bom nadador.


Dia de brilho
Na contramão do presidente, o vice General Mourão tem rodado o Brasil em palestras e seminários. Será o palestrante principal do Lide Brasília amanhã, no Brasília Palace, evento comandado pelo empresário Paulo Octavio com a nata do PIB da capital.


Chanceler extra
O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, tem papel fundamental nesse encontro dele com o presidente americano Donald Trump. Eduardo agora é presidente da Comissão de Relações Exteriores.


Prévia
Como citou a Coluna, fonte garante que o deputado recentemente teve longo jantar com Trump no seu club Mar-a-Lago, em West Palm Beach (Flórida), onde iniciaram as tratativas. Questionada, a assessoria do parlamentar não confirmou, nem negou.


Saldo
O BNDES tem aplicados, hoje, coisa de R$ 40 bilhões em empresas privadas.


Na conta
O BNDES está devendo, atualmente, R$ 271 bilhões ao Tesouro Nacional, de aportes da União no bancão para empréstimos – mas também, em especial, para cobrir rombos de operações mal sucedidas nos últimos governos do PT, cujas empreiteiras, algumas envolvidas na Lava Jato, não honram o que devem de obras no exterior. Nem elas, tampouco os governos amigos beneficiados, pagam a dívida.


Custo empreiteiras
Um gráfico no site do BNDES mostra crescimento significativo de endividamento do bancão oficial com o Tesouro, após recursos repassados para cobrir suas operações (muitas sigilosas sobre obras no exterior). Em 2013 o montante era de R$ 383 bilhões, e em 2015, R$ 487 bilhões. O BNDES foi amortizando o saldo devedor a partir de 2016.


Mãos ao alto
Autoridades policiais do Rio de Janeiro têm estudo que apontam que os crimes cometidos por réplicas de armas respondem por 40% dos assaltos no Estado. A deputada federal Major Fabiana propõe no PL 1444/19 que as penas sejam aumentadas para flagrantes de uso de armas de brinquedos.


Da redação, com informações do site Jornal de Brasília