file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Festival Gastronômico Paladares do Sertão

Morte de empresário durante assalto no Copirecê II, causa revolta aos moradores

Cultura&Realidade - 28 de Outubro de 2017

file-2017-10-28103604.831445-valdiquef230e5b8-bbe4-11e7-97a4-f23c917a2cda.jpg

Valdique Rodrigues e ao lado, print de imagem da câmera interna do Mercadinho Rodrigues - Foto: Reprodução

O empresário Valdique Rodrigues de Souza, 38, proprietário do Mercadinho Rodrigues, no bairro Copirecê II, baleado por um assaltante na tarde desta sexta-feira, 27, não resistiu aos ferimentos e faleceu na manhã deste sábado, 28, no Hospital Regional de Irecê.

Valdique foi alvejado por dois tiros na cabeça disparados por um dos dois assaltantes, aparentemente menores, que trafegavam de bicicletas, segundo testemunhas que moram no entorno. Pelas imagens de vídeo do estabelecimento, a sua filha estava fazendo atendimento, quando os marginais praticaram o ato.

Aparentando bastante nervosismo, um dos marginais fazia vários movimentos no local, quando Valdique adentrou na área comercial, vindo da sua casa, sendo baleado no ato. Levado para o Hospital, todos os procedimentos de urgência foram realizados, mas não foi possível salvá-lo.

Até o presente momento a polícia não tem o paradeiro dos autores do crime. A notícia de que um suspeito fora preso e depois solto ontem, foi desmentida pela polícia. Em atos investigatórios iniciais, os policiais não conseguiram identificar semelhanças do autor dos disparos, com criminosos habituais. A busca por pistas continua.

DESOLAÇÃO – O clima no bairro Copirecê I e II é de profunda tristeza. Bairros considerados tranquilos, foram surpreendidos com este triste episódio. Para a manicura e pedicura Jaqueline Brito, “nada mais será como antes, aquele homem sempre amigo, sorridente, pai e esposo atencioso, homem trabalhador, bom vizinho, se foi de forma trágica, na frente da família, sem dó nem piedade dos bandidos”, disse.

Valdique teve sua despedida antecipada pela violência urbana, deixando viúva a senhora Irani Souza e três filhos órfãos. O sentimento de todos moradores da rua Lara Cassiano é de consternação e revolta, na esperança de que os meliantes sejam presos e respondam pelos seus crimes.

REVOLTA - “É inaceitável esta onda de violência. Esta semana um bandido de bicicleta tentou assaltar no centro da cidade e um policial a paisana evitou, prendendo o marginal. Semana passada, a Safira Jóias foi saqueada, a pouco tempo, Wilson Ourives por pouco não morre também. Os empreendedores são vitimas do estado que nos assalta com altos impostos e dos bandidos que saqueiam o patrimônio, matam pessoas e desestruturam famílias. Estamos lascados”, disse um prestador de serviços, localizado próximo ao Posto Avenida, no bairro Copirecê II.

Da redação