Educação

Ministro da Educação quer retomada das aulas nas próximas semanas

Cultura&Realidade - 24 de Abril de 2020

file-2020-04-24102447.955502-Design_sem_nome_23f83d15a0-862e-11ea-a930-f23c917a2cda.jpg

Titular da pasta disse que o Enem não corre riscos. "Vai ser realizado", garante - Foto: Ilustração

O ministro da educação Abraham Weintraub se disse otimista com a retomada das aulas em todo o país e garantiu que o ano letivo dos estudantes não será perdido. “Acho que vamos retomar as aulas em breve, nas próximas semanas, e com isso dá tempo sim de salvar o ano letivo.”, declarou no primeiro episódio do programa “Conversa com o Ministro”, lançado pela rádio do Ministério da Educação na quarta-feira 22.


Em meio à pandemia do coronavírus, o governo Bolsonaro suspendeu, via medida provisória, a obrigatoriedade das escolas cumprirem os 200 dias letivos este ano, mas manteve a obrigatoriedade do cumprimento da carga mínima anual de 800 horas no ano letivo para unidades de educação básica (educação infantil, ensino fundamental e ensino médio), como prevê a Lei de Diretrizes e Bases (LDB). O texto da MP, no entanto, não detalhou como estados e municípios operarão para garantir a aplicação dos conteúdos o que, segundo especialistas, pode aumentar as desigualdades educacionais.

Especialistas veem alguns cenários preocupantes, como a possibilidade das atividades serem aplicadas como complementares, em finais de semana ou feriados, estender a educação em tempo  integral, concluir o ano letivo em 2021, ou priorizar atividades de educação a distância sem prever a realidade dos estudantes.
Weintraub, no entanto, acredita que a flexibilização funciona. “Flexibilizamos os 200 dias letivos, mas mantivemos a carga horária, isso é, o professor, o secretário, o diretor da escola, tem flexibilidade para adaptar o que ele tem que passar para os alunos de acordo com o cronograma que resta”.

Ao programa, o ministro também falou sobre a distribuição da merenda escolar aos estudantes da rede pública durante a quarentena e criticou o isolamento adotado por alguns estados e municípios. 
 

Segundo levantamento do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), os 27 estados do País suspenderam as aulas presenciais devido á pandemia do coronavírus
 

Weintraub também voltou a afirmar que o Enem deste ano está mantido. Também nesta quarta-feira, o Inep anunciou o adiamento da versão digital, que seria realizada nos dias 11 e 18 de outubro para os dias 22 e 29 de novembro. A aplicação da prova impressa permanece prevista para 1º e 8 de novembro. 

Com conteúdo de Carta Capital