JOVEM ESCRITOR C&R

Maria Alice mora em Irecê, é estudante do IFBA e a autora desta terça, 12

Cultura&Realidade - 12 de Novembro de 2019

file-2019-11-12171422.181941-CAPA03df42e2-0589-11ea-b292-f23c917a2cda.jpg

Para mais informações sobre o projeto quem pode e como participar, acesse nosas redes sociais: Facebook Instagram 

 


Universos

"Nos primórdios de tudo, meu céu era normal. Careta. Nem quente, nem frio. Chato.
Quando tu chegou, trouxe um sol incrivelmente brilhante para minha vida. E isso me encantou.
Nunca, em minha existência, imaginei ver tamanha beleza!
Passei horas a fio te olhando. No fim da tarde, me trouxe alguns incômodos a pele. Queimaduras. Mas não me importei, afinal, estava ocupada demais te amando.
Apreciei você, meu astro rei, em cada segundo que pude. Porém, rapidamente como chegou, também se foi.
Então, a noite fria invadiu minha vida.
Agora, havia apenas eu, a escuridão e milhares de fragmentos que antes eram meu coração.
Chorei por não ter meu sol comigo, por ter ido embora sem explicação e me largado aqui sozinha.
Das minhas lágrimas, surgiram as estrelas no céu escuro.
Alguém se apiedou do meu pesar e criou beleza nisso.
De repente, olhei para o céu, aquele em que tu estivera mais cedo, agora preto como ébano, com as minhas lágrimas brilhando nele.
Tamanha foi minha surpresa, ao perceber a graciosidade formada. Meu céu estava lindo! Sem você, porém, incrivelmente lindo.
Então me orgulhei. Percebi que minha pele não ardia nesse céu criado por mim, poderia andar livremente sem me queimar. Dentro dessa calmaria, consegui me recuperar.
No outro dia, quando você voltou, brilhando tão intensamente, incrivelmente lindo, senti a dor novamente, então me escondi de ti.
Quando minha escuridão voltou, agora com as estrelas, tive certeza de que nunca ficaríamos juntos. Você me machucava, entende? Mas também não é sua culpa, somos incompatíveis.
Descobri que ficar com você, me traria queimaduras. Descobri também, que sozinha, sou completamente perfeita. Você também é, sei que continuará iluminando todos com seu brilho, enquanto eu, aqui quietinha, chamarei atenção pelas milhares de bolinhas brilhantes do breu. Somos felizes assim, um distante do outro."

Maria Alice, tem 16 anos, reside em Irecê e está cursando o 2° ano de Biocombustível  no IFBA Campus Irecê.

"A vida me motiva a escrever, os fatos cotidianos, os sentimentos, principalmente o amor e a tristeza, basicamente tudo!
Escrevo como válvula de escape, uma forma de contar tudo que não consigo falar."

 

JOVEM ESCRITOR C&R

Para mais informações sobre o projeto quem pode e como participar, acesse nosas redes sociais: Facebook Instagram

Da Redação.