AMBIENTE

Jovem que inventou tecnologia para limpar oceanos cria barca solar que limpa rios

Cultura&Realidade - 10 de Março de 2020 (atualizado 10/Mar/2020 10h09)

file-2020-03-10100116.538345-Sem_titulo-13a6117d4-62cf-11ea-a930-f23c917a2cda.jpg

O projeto tem o apoio de mais de 100 pesquisadores e ambientalistas - Foto: Ilustração

O jovem holandês Boyan Slat tinha apenas 19 anos quando começou a desenvolver um dispositivo de limpeza capaz de remover 80 mil toneladas de plástico do Oceano Pacífico por ano.

Batizada de Ocean Cleanup (“Limpeza Oceânica”, em tradução livre), a iniciativa possui uma embarcação que opera como uma barreira, aproveitando as correntes oceânicas para bloquear os resíduos encontrados no mar.

                                       

Foto: Reprodução/Facebook The Ocean Cleanup

 

A System 001 atua na costa do Haiti e da Califórnia, área de grande concentração de objetos de plástico (1 trilhão de detritos). O projeto tem o apoio de mais de 100 pesquisadores e ambientalistas.
Cinco anos depois do anúncio da Ocean Cleanup, Boyan, 25 anos, divulgou que está trabalhando em outra embarcação, só que desta vez para limpar rios.

jovem boyan slat ocean cleanup barca limpa rios

Foto: Reprodução/Facebook The Ocean Cleanup

 

 

Chamada por ele de Interceptor, a embarcação, movida a energia solar, consegue coletar 110 toneladas de lixo por dia, trazendo todos os resíduos para a terra firme, onde poderão ser reciclados.

O jovem deseja que a barca seja replicada em larga escala, estando ativa em todos os rios mais poluídos do planeta até 2025.

jovem boyan slat ocean cleanup barca limpa rios

Foto: Reprodução/Facebook The Ocean Cleanup


Inicialmente, Boyan vai focar seus esforços no rio Kelang, na Malásia, e nos esgotos de Cengkareng, em Jakarta, na Indonésia.

“Nossa equipe permaneceu firme em sua determinação de resolver imensos desafios técnicos para chegar a esse ponto”, disse.
“Embora ainda tenhamos muito mais trabalho a fazer, sou eternamente grato pelo comprometimento e dedicação da equipe à missão e espero continuar com a próxima fase de desenvolvimento”, concluiu.


 Com conteúdo de Razões Para acreditar