Educação

JOÃO DOURADO: Escola mobiliza alunos e promove ação social

Cultura&Realidade - 29 de Agosto de 2019 (atualizado 29/Ago/2019 11h16)

file-2019-08-29105755.529123-Okkkk_Ida00329266-ca65-11e9-b653-f23c917a2cda.jpg

A APAE  é uma instituição sem fins lucrativos, pela qual a comunidade se une para prevenir e tratar a deficiência das pessoas que precisam dos seus serviços e promover o bem-estar social e desenvolvimento da pessoa com deficiência. - Foto: Redes Sociais

 

A escola municipal Ida Bastos, de João Dourado, fez a entrega do cheque no valor de R$ 2,538,00 à APAE – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais/Irecê, na tarde dessa terça, 27.
A ideia surgiu por parte da professora Izangela Matos, quando ficou sabendo que a Associação estava precisando de 04 bancos. “Conversando com a colega Carla, que faz parte da diretoria da APAE, ela estava feliz, pois a instituição ganhou uma mesa, porém não tinha os bancos, e era uma grande necessidade.”, disse a Psicopedagoga.

Como a escola está trabalhando a semana nacional voltada para a inclusão, resolveram promover o sorteio de uma cesta básica, e o o resultado foi usado para resolver a demanda.

A professora explicou à redação do Cultura&Realidade, que a direção escolar fez um desafio aos alunos: a turma que conseguisse vender mais bilhetes iria conhecer a APAE e entregar o cheque simbólico. 
"Como crianças e adolescentes não dispensam desafios,  todos se mobilizaram" narra Izangela.

"Com resultado acima da meta, o valor vai dar para comprar os bancos e resolver outras necessidades da APAE, a exemplo de uma plastificadora", disse Shirley, diretora da escola.

A APAE  é uma instituição sem fins lucrativos, pela qual a comunidade se une para prevenir e tratar a deficiência das pessoas que precisam dos seus serviços e promover o bem-estar social e desenvolvimento da pessoa com deficiência.

“Sabíamos que daria certo, mas tomou uma dimensão grande a cada dia que tínhamos ações dentro da escola sobre a inclusão e assim a Campanha ficou cheia de emoção.”, finaliza a professora Izângela.

Da redação/Por Vítor Ferreira