file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Festival Gastronômico Paladares do Sertão

Irecê: irmãos investem em capacitação e dobram faturamento

01 de Abril de 2016

Smart-Shopping.Arquivo_Pessoal1.jpg [caption id="attachment_4418" align="aligncenter" width="440"]O empreendedor Samuel Borges e seu irmão Talantine montaram a Smart Shop, uma empresa de venda de acessórios para smartphones e tablets. Foto: Arquivo pessoal. O empreendedor Samuel Borges e seu irmão Talantine montaram a Smart Shop, uma empresa de venda de acessórios para smartphones e tablets. Foto: Arquivo pessoal.[/caption] Por Nara Zaneli Os dois jovens irmãos, Samuel e Talantine Borges, são empreendedores que acreditaram em um sonho e conseguiram montar, na cidade de Irecê, Centro Norte da Bahia, a Smart Shop, uma empresa de venda de acessórios para smartphones e tablets. No início, não foi fácil. Samuel trabalhava como camelô em Campinas, São Paulo, e percebeu que o momento não estava favorável para o setor. Então, decidiu voltar para a cidade natal e apostar em outro segmento. Com o dinheiro que conseguiu juntar em São Paulo, ele comprou mercadoria, alugou o ponto e produziu fardamento. Mas, comprou os móveis confiando no faturamento mensal. Assim nasceu a Smart Shop. No entanto, como não era formalizado, precisou colocar a empresa em ordem, e, por indicação de outro amigo empresário, procurou o Sebrae para regularizar a situação do seu negócio. “Estava aflito porque o dinheiro que eu tinha não dava para pagar o contador e abrir a minha empresa”, lembra. No início, os sócios só comercializavam capas para celular e películas de vidro. Com a procura dos clientes eles aumentaram o mix de produtos e diversificaram as marcas. “Quando o cliente perguntava por algum produto que eu não tinha, anotava em uma caderneta e já colocava no pedido da nova compra”, conta Samuel. Rapidamente a empresa, já legalizada, ganhou clientes e aumentou o faturamento. Foi então que resolveram investir em produtos mais caros e exclusivos, implantando outro segmento dentro da loja. “Começamos a comprar roteadores e percebemos também um nicho de mercado, que é o de conserto de celular”, explica o empreendedor, que agora tem o segundo andar da loja voltado para assistência técnica, chamada Smart Help. Investimento e capacitação Samuel, que cuida da parte de vendas e atendimento, e Talantine, que faz a parte administrativa, sentiram a necessidade de aprimoramento e começaram a participar de cursos e capacitações específicas para microempreendedores. “Tínhamos participado de palestras realizadas pelo Sebrae, mas precisávamos de algo mais direcionado. Por isso, fiz os cursos Atendimento ao Cliente, Treinamento Gerencial Básico e até já me inscrevi no Empretec”, detalha Samuel. Já Talantine, vai procurar cursos na área administrativa, como gestão financeira e de pessoas. “Estamos focados e com muita vontade de aprender”, completa. Para a técnica do Sebrae Irecê, Rosiane Cordeiro, a participação em capacitação qualifica o empresário e dá suporte para tomada de decisões. “Quem se capacita tem mais visão de mercado e planeja de forma eficiente as ações da empresa. Por isso, é importante se reciclar sempre, para acompanhar as tendências de mercado, inovar e surpreender o cliente”, avalia. Com tanta dedicação, em apenas dois anos, os empresários já se firmaram no mercado e em breve irão migrar da categoria de microempreendedores individuais (MEI) para microempresa (ME). “Conseguimos chegar ao limite do faturamento para migrar de categoria. Então, vamos ao Sebrae conversar sobre essa transição e pedir orientações”, afirma. Para informações sobre cursos e capacitações, o MEI pode procurar o Sebrae Irecê, na Rua Coronel Terêncio Dourado, nº160, ou ligar no telefone (74)3641-3991.