file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Festival Gastronômico Paladares do Sertão

Irecê: Estudantes aliam teoria e prática e produzem conservas de alimentos em curso da Educação Profissional

17 de Março de 2016

conserva.jpg [caption id="attachment_4211" align="aligncenter" width="550"]Foto: Reprodução / Ascom Cetep Irecê Foto: Reprodução / Ascom Cetep Irecê[/caption] Os estudantes do 4° ano do curso técnico em Agropecuária, do Centro Territorial de Educação profissional de Irecê (Cetep), estão colocando em prática o que aprendem em sala de aula. Por meio da técnica de beneficiamento de alimentos, eles produzem conservas de vegetais ricos em valor nutritivo. A ação faz parte do projeto Campo Produtivo que consiste na implementação de uma área de plantio de alimentos, como pimenta e abóbora, que são utilizados em atividades práticas dos cursos oferecidos na unidade. O objetivo é aliar a teoria com a prática, proporcionando aos futuros técnicos experiências do futuro cotidiano profissional. Nas aulas da disciplina Técnica de Processamento de Alimentos, os estudantes recebem orientações para produzirem conservas de pimenta, cenoura e picles. Eles aprendem a selecionar, lavar e cozinhar os alimentos de forma correta. Após isso, enquanto os alimentos esfriam, as embalagens são esterilizadas com água quente para o acondicionamento dos alimentos. Para conservá-los é utilizada uma solução composta por vinagre, água, sal e orégano. Ao final do processo os estudantes soltam a criatividade para montar os potes tendo como inspiração os formatos e as cores dos alimentos. Ao serem lacrados, os vasos de vidro recebem rótulos contendo informações como data de fabricação, prazo de validade e composição do produto. As embalagens utilizadas são doadas e reaproveitadas tendo como foco a sustentabilidade. O estudante Cleuvis Sena, 18 anos, gosta este tipo de experiência. “Esta é uma atividade onde exercitamos, na prática, alguns conteúdos abordados nas aulas e que ampliam os nossos conhecimentos”. Já o colega Heuler Bastos dos Santos, 18, destacou: “tudo que estou aprendendo vai me dar base para montar o meu próprio negócio futuramente”. “Com as práticas e conhecimentos absorvidos, os estudantes saem da unidade sendo empreendedores, pois, com as técnicas que eles aprendem, podem produzir ou beneficiar alimentos agregando valor à sua produção. Além disso, é uma alternativa de negócio rentável”, afirmou a professora Érica Paiva. Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado da Bahia