file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Bahia

Ipupiara: ex-prefeito anuncia saldo, mas o que se tem é um rastro de dívidas e obras suspeitas de desvio de recursos

02 de Janeiro de 2017 (atualizado 07/Fev/2017 21h10)

file-2017-02-07191001.204507-eduardoc9b24a8a-ed79-11e6-9160-047d7b108db3.jpg

Foto: Ex-prefeito David. Foto da sua página pessoal do Facebook (Reprodução)

Da Redação

O ex-prefeito de Ipupiara, David Ribeiro Primo (PRB), surpreendeu a todos com o teor do seu discurso proferido durante a transmissão de cargo, ao atual prefeito Ascir Leite Santos (PP) e posteriormente reproduzido em inteiro teor na sua página pessoal no Facebook. Enquanto fornecedores e servidores reclamam em todos os cantos do município dos atrasos em pagamentos, inclusive salários de dezembro e do 13º salário, ele anunciou que está deixando em caixa, mais de R$ 1 milhão e, somado a convênios a receber, mais de R$ 7 milhões.

A reportagem do Cultura&Realidade ligou para o setor de administração da prefeitura de Ipupiara, na manhã desta segunda-feira, para constatar o conteúdo do discurso do ex-prefeito que encerrou sua gestão no último dia 31. David disse em sua fala, que estava deixando os recursos para pagamento de todos os compromissos com os fornecedores e o pagamento da folha do mês de dezembro. “Somente a folha de dezembro, mais o 13º salários e o recolhimento da seguridade social do mesmo mês, superam a casa de R$ 600 mil, enquanto os valores ordinários, (únicos, destinados a este tipo de pagamento)  deixados pelo ex-prefeito não chegam a R$ 325 mil”, informou o secretário de finanças Welington Bessa.

Ele disse ainda que é tão verdade que o ex-prefeito não deixou recursos para quitação das dividas com fornecedores, que não se fez empenhos, pois para fazê-los, tem que ter os recursos disponibilizados por quem ordenou as despesas. “Encontramos apenas uma lista informando  débitos com fornecedores. Isto é, mesmo que tivesse dinheiro suficiente, que não é o caso, não poderíamos pagar, pois não foram empenhados em restos a pagar, como exige as normas da administração pública, a lei de responsabilidade fiscal e as normas dos órgãos de controle, como Ministério Público e Tribunal de Contas dos Municípios”, disse o prefeito Ascir.

Quanto aos recursos de convênios apontados pelo ex-prefeito, a maior parte de R$ 4 milhões para recuperação de estradas, já foi gasta pela gestão anterior. “A creche, fruto de convênio no valor de R$ 1.300.000,00 (um milhão e trezentos mil reais), foi pago, à empresa construtora, segundo do ex-prefeito, quase R$ 1 milhão e consta na conta pouco mais de R$ 400,00 (quatrocentos reais). Ou seja, a creche era para estar praticamente pronta, mas não se tem mais o dinheiro e nem a obra. Algo estranho aí, que teremos que acionar os órgãos de controle para averiguar”, disse o prefeito Ascir, já na primeira manhã do seu novo mandato.