Mundo

Infectado por coronavírus, Boris Johnson é transferido para a UTI

Cultura&Realidade - 06 de Abril de 2020

file-2020-04-06181104.009293-boris1fd41650-784b-11ea-9b89-f23c917a2cda.jpg

Primeiro Ministro do Reino Unido, Boris, deixa isolamento residencial direto para a UTI - Foto: Ilustração

Em comunicado, um porta-voz do governo disse que as condições de saúde do premiê pioraram nesta tarde e, por isso, os médicos decidiram enviá-lo para a UTI

Redação, O Estado de S.Paulo

 

LONDRES - O primeiro-ministro do Reino Unido,  Boris Johnson, foi transferido nesta segunda-feira, 6, para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital St. Thomas, em Londres, um dias após ser internado com persistentes sintomas da covid-19. O líder britânico, de 55 anos, foi diagnosticado com a doença no dia 26 de março.    

Em comunicado, um porta-voz do governo disse que as condições de saúde do premiê pioraram nesta tarde e, por isso, os médicos decidiram enviá-lo para a UTI. Segundo a nota, o ministro das Relações Exteriores do país, Dominic Raab, assumirá as funções de Johnson no que for necessário.

Segundo a emissora Sky News, o premiê está consciente e não faz uso de respirador artificial.  Mais cedo, um porta-voz do governo britânico havia informado que ele teve uma noite "confortável" e estava disposto. 

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2020 | 16h28
Atualizado 06 de abril de 2020 | 17h59

 

 SAIBA MAIS

LONDRES - O primeiro-ministro do Reino Unido,  Boris Johnson, foi transferido nesta segunda-feira, 6, para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital St. Thomas, em Londres, um dias após ser internado com persistentes sintomas da covid-19. O líder britânico, de 55 anos, foi diagnosticado com a doença no dia 26 de março.    

Em comunicado, um porta-voz do governo disse que as condições de saúde do premiê pioraram nesta tarde e, por isso, os médicos decidiram enviá-lo para a UTI. Segundo a nota, o ministro das Relações Exteriores do país, Dominic Raab, assumirá as funções de Johnson no que for necessário.

Segundo a emissora Sky News, o premiê está consciente e não faz uso de respirador artificial.  Mais cedo, um porta-voz do governo britânico havia informado que ele teve uma noite "confortável" e estava disposto. 

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2020 | 16h28
Atualizado 06 de abril de 2020 | 17h59

 

 SAIBA MAIS

LONDRES - O primeiro-ministro do Reino Unido,  Boris Johnson, foi transferido nesta segunda-feira, 6, para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital St. Thomas, em Londres, um dias após ser internado com persistentes sintomas da covid-19. O líder britânico, de 55 anos, foi diagnosticado com a doença no dia 26 de março.    

Em comunicado, um porta-voz do governo disse que as condições de saúde do premiê pioraram nesta tarde e, por isso, os médicos decidiram enviá-lo para a UTI. Segundo a nota, o ministro das Relações Exteriores do país, Dominic Raab, assumirá as funções de Johnson no que for necessário.

Segundo a emissora Sky News, o premiê está consciente e não faz uso de respirador artificial.  Mais cedo, um porta-voz do governo britânico havia informado que ele teve uma noite "confortável" e estava disposto. 

 

coronavírus - Reino Unido - Boris Johnson

No vídeo do dia 3 de abril, Johnson aparece cansado   Foto: 10 Downing Street / AFP

Em entrevista coletiva realizada pela manhã, Raab afirmou não ter falado com Johnson desde o fim de semana. O chefe da diplomacia britânica comandou uma reunião do governo de coordenação das estratégias contra a pandemia. 

"O primeiro-ministro está recebendo um excelente atendimento. Obrigado a todo o pessoal do sistema de saúde pública pelo trabalho árduo e dedicação", afirma o comunicado. 

Johnson foi internado na noite de domingo, segundo versão oficial, para se submeter a exames. Downing Street havia alegado que se tratava de uma medida preventiva.  

O próprio premiê explicou em uma rede social que estava internado no hospital St. Thomas para fazer testes de rotina. "Eu gostaria de agradecer à equipe brilhante do sistema de saúde pública por cuidar de mim e dos outros nesse período difícil. Vocês são o melhor do Reino Unido", afirmou.  

Governo por videoconferência

Isolado em um apartamento de Downing Street, com comida trazida à sua porta, Johnson continuou a liderar o governo e vinha presidindo as reuniões por videoconferência.

Ele postou uma série de mensagens em vídeo desde então, aparecendo inicialmente de terno e gravata. Entretanto, no último post, na sexta-feira, 3, ele parecia cansado, sentado em uma cadeira com a camisa aberta no pescoço.

"Embora eu esteja me sentindo melhor e tenha feito meus sete dias de isolamento, infelizmente ainda tenho um dos sintomas, estou com febre", disse ele. Johnson foi o primeiro líder de uma grande potência a anunciar que testou positivo para o coronavírus.

Palácio de Buckingham informou que a rainha Elizabeth II está sendo informada por Downing Street sobre as condições de saúde do primeiro-ministro. 

Líderes políticos de várias partes do mundo, assim como ex-líderes britânicos, enviaram suas mensagens de rápida recuperação ao primeiro-ministro. "Todo nosso apoio a Boris Johnson, sua família e ao povo britânico nesse difícil momento. Espero que ele supere essa provação rapidamente", escreveu o presidente francês, Emmanuel Macron

"Meus pensamentos e orações estão com Boris Johnson e sua família enquanto ele continua a receber tratamento no hospital. Esse vírus horrível não discrimina. Qualquer um pode pegar. Qualquer um pode espalhar", escreveu a antecessora de Johnson, Theresa May

Para a especialista em saúde pública da Universidade de Edimburgo Linda Bauld, em entrevista ao jornal britânico The Guardian, a admissão do primeiro-ministro na UTI demonstra quão indiscriminatório é o vírus e o quão sério o país deve levar a ameaça que ele impõe. 

"Qualquer pessoa em qualquer lugar, incluindo os mais privilegiados em nossa sociedade, pode ser afetada e ficar gravemente doente", disse ela. /REUTERS, AFP, EFE e ANSA