file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Irecê e Região

Publieditorial

Imagens de vídeos sobre acidente que matou o agricultor Ademir Marques, mostram momentos da descarga elétrica

Cultura&Realidade - 10 de Janeiro de 2019 (atualizado 10/Jan/2019 17h33)

file-2019-01-10105057.403184-DESCARGA_ELETRICAc18cc356-14de-11e9-80ca-f23c917a2cda.jpg

No vídeo é possível ver o momento que o agricultor agoniza no chão Foto: Reprodução vídeo

Está viralizando nos grupos de WhatSapp, vídeo editado, com imagens e textos apontando que o estúdio móvel de responsabilidade do grupo J. Sidney, que fazia cobertura ao vivo dos festejos de Santos Reis, em Canoão de Ibititá, estava passando corrente elétrica.


No primeiro momento, o vídeo mostra uma mulher, que seria a comunicadora Kaila Dourado, que ao tocar no suporte dos degraus de acesso ao estúdio, recebeu uma descarga elétrica e chegou a cair ao solo. Em seguida, uma nova tomada mostra um homem que ao tocar em parte do estúdio, cai, passa alguns minutos agonizando e em seguida levanta, aparentemente desnorteado, e vai em direção ao estúdio e novamente cai. O vídeo diz que o homem é Ademir Marques dos Santos, que foi levado ao Hospital de Ibipeba, onde já chegou morto.


Através de nota enviada ao Cultura&Realidade, publicado na segunda-feira (7) prepostos do grupo J. Sidney afirmam que estão aguardando conclusão da Perícia Técnica e que estão solidárias à família e à disposição das autoridades investigativas.


Os telefones de contato com a radialista Kaila Dourado foram acionados, mas as chamadas não se completaram. Na tentativa de contato, via central telefônica da rádio Irecê Lider FM, mas a telefonista disse que ela não se encontrava, nem informou contato diferente do disponível à nossa redação.
Familiares de Ademir manifestam-se informando que em nenhum momento o grupo J. Sidney procurou a família para qualquer pronunciamento sobre o caso.


O Delegado Paulo Ribeiro confirmou ter conhecimento das imagens de vídeo, tanto as editadas quanto as originais, mas disse que ainda não concluiu o inquérito. “Estamos ouvindo as testemunhas e tenho até 30 dias para concluir. Não vou precisar de aditivo de prazo”, afirmou o delegado.

Da redação

Confira o vídeo: