file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Bahia

Frentista é denunciado por tentar matar transexual em Presidente Dutra

09 de Maio de 2017 (atualizado 20/Jun/2017 17h51)

Foto: Ministério público estadual formaliza denúncia ao acusado de tentar assassinar a transexual Bárbara em P. Dutra (Reprodução)

Foto: Ministério público estadual formaliza denúncia ao acusado de tentar assassinar a transexual Bárbara em P. Dutra (Reprodução)

Redação Cultura&Realidade - com informações do MP-BA

O Ministério Público estadual ofereceu hoje (9) denúncia contra o frentista Domingos Mendes Machado Neto, acusado de tentar matar a transexual Bárbara Trindade, no último dia 2 de abril, no município de Presidente Dutra. Conforme a acusação, Domingos Neto, “mediante dissimulação e recurso que impossibilitou a defesa da vítima”, disparou tiros de armas de fogo contra ela, acertando a região próxima do ouvido esquerdo e a coluna cervical. O atentado deixou Bárbara tetraplégica.

Segundo a denúncia, no dia do crime, o frentista agendou um “encontro amoroso” com Bárbara, via aplicativo de troca de mensagens, e combinou que a buscaria na Rua Vereador João Rocha, nas proximidades da Câmara Municipal, para de lá partir em direção a uma residência. Domingos Neto teria chegado numa carona de uma motocicleta, cujo motorista não foi identificado, e teria disparado contra Bárbara logo após descer do veículo. A denúncia é de autoria dos promotores de Justiça Áviner Rocha Santos, Edna Márcia Souza de Oliveira, Fábio Nunes Guimarães e Igor Clóvis Miranda. Na denúncia, eles afirmam que “o encontro designado pelo algoz serviu para dissimular sua real intenção e, dessa forma, diminuir a vigilância da vítima, permitindo eficiente ataque contra a vida alheia”.

Crime ganha repercussão nacional - O atentado sofrido por Bárbara alcançou repercussão nacional nas últimas semanas. Após militantes do movimento LGBT se manifestarem nas redes sociais denunciando a situação, o tema entrou na pauta da mídia estadual e nacional. O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) repudiou o acontecimento, definindo a tentativa de homicído como crime homofóbico. Até Luciana Genro, ex-candidata a presidência e dirigente nacional do partido, comentou o fato em seu página no facebook.

O acusado, Domingos Mendes, está preso na delegacia de Presidente Dutra, mas já deu entrada em um pedido de Habeas Corpus. Os Familiares do rapaz também se manifestaram nas redes sociais, questionando a participação dele no crime e defendendo sua inocência.