ESPORTES

Fluminense de Feira desiste da contratação do goleiro Bruno após protesto de torcedores

Cultura&Realidade - 09 de Janeiro de 2020 (atualizado 09/Jan/2020 11h33)

file-2020-01-09110354.908077-lhdf58495e-32e8-11ea-a930-f23c917a2cda.jpg

De acordo com o dirigente, o motivo foi a forte manifestação popular contrária - Foto: Ilustração

O Fluminense de Feira não vai mais contratar o goleiro Bruno, que cumpre pena em regime semiaberto por causa do assassinato e ocultação de cadáver da modelo Eliza Samúdio, em 2010. A desistência foi revelada pelo presidente Ewerton Carneiro, o Pastor Tom, em entrevista coletiva concedida na terça-feira (7), na sede do clube, em Feira de Santana. De acordo com o dirigente, o motivo foi a forte manifestação popular contrária à contratação.

“Esses dias foram de muita confusão para mim, para a diretoria, para o Fluminense de Feira, pro povo de Feira, para a minha família. A gente viu pessoas entrando na rede social, uns favoráveis, outros contra, inclusive falei ontem com Bruno, conversei com ele. E eu ouvi ontem também a imprensa de Feira, as pessoas nas ruas, procurei me basear também juridicamente do que poderia trazer negativamente ou positivamente para o Fluminense”, diz Pastor Tom.

“No dia de hoje [terça], depois da matéria que foi rodada ontem [segunda], repercutiu muito na Bahia, qual é a nossa conclusão quanto a Bruno? Nossa conclusão é que eu entendo que estamos em uma administração nova e não queremos polemizar. Muito pelo contrário. Nós queremos resgatar aquelas pessoas que iam para o estádio para que voltem ao estádio. Essa é a nossa preocupação, de trazer os torcedores de volta para o clube”, completou.

As informações são do Pernambués Agora