file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Politica

Finalmente a eleição da Câmara de Irecê, com vitória sobralista: empate de 1 X 1 na disputa dos biênios legislativos

Cultura&Realidade - 28 de Dezembro de 2018 (atualizado 28/Dez/2018 13h01)

file-2018-12-28125754.315665-camara5636e2a0-0ab9-11e9-9991-f23c917a2cda.jpg

Câmara de Irecê esteve lotada de partidários dos dois grupos hegemônicos da política de Irecê - Foto: Gilberto Neiva

Finalmente chega ao fim, o processo de eleição da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Irecê. Em eleição ocorrida em segunda Sessão Extraordinária legalmente convocada, aconteceu nesta quinta-feira, 27, às 19h, o ato de escolha da mesa gestora da Casa Legislativa. Foi eleita por 8  votos a 7, a chapa 1, presidida por Paulo Joaquim (Paulinho do Destak).

Com a Câmara lotada de militantes dos dois principais grupos políticos da cidade, liderados pelo ex-prefeito Luizinho e pelo prefeito Elmo Vaz, a Sessão foi aberta pelo atual presidente Rogério Amorim (Figueiredo), que leu decisão do Juiz José Onofre, determinando prazo de 48 horas para realização da Sessão, com direito, caso quisessem os interessados, fazerem alteração nas chapas até uma hora antes da abertura dos trabalhos, em caso de vacância.

A chapa 1 manteve-se inalterada, tendo, além de Paulinho do Destak como candidato a presidente, Leo da Unibel como vice-presidente, Antonio Jesus (Toinho do Judô) primeiro secretário e Valdereis Lopes como segunda secretária.

A chapa 2 teve alteração. Tertinho desistiu de disputar a presidência, ocupou o seu lugar o vereador Fabiano Bia. Figueiredo cedeu a vaga de candidato a vice-presidente para Tertinho. Os vereadores Murilo Franca e Expedito Moreira compuseram as funções de secretaria.

O PROCESSO ELEITORAL

Em tese a eleição da Mesa Diretora do legislativo é agenda interna, que não cabe intervenções de outros poderes. Mas já é de domínio público que em todas as esferas (municipal, estadual e federal) ocorre intensas articulações externas na definição das composições das chapas, com muitos lances, entre as bancadas existentes, orientados pelos grupos políticos sustentados pelas bancadas, no caso local, de vereadores.

Reflexo dos desgastes ocorridos na campanha de 2016 e demonstrando insatisfações com o grupo pelos quais foram eleitos, os vereadores Paulinho do Destak e Edilson Cachoeira, aderiram à gestão atual, quando estavam sendo formatadas as chapas para disputar a Mesa Diretora para o biênio 2017/2018. Com esta articulação, a base aliada ao prefeito Elmo Vaz saiu de seis para oito edis, elegendo na oportunidade, o vereador Figueiredo como Presidente, que deixa a gestão, elogiado por aliados e opositores.

Para o próximo período legislativo, 2019/2020, Paulinho do Destak, alinhado com o colega Edilson Cachoeira, condicionou a permanência no grupo elmista, se tivesse o apoio para a presidência do Legislativo, o que não ocorreu, levando-o a negociar com a bancada sobralista, onde foi acolhido, e em seguida, manifestou publicamente o retorno à sua base de origem, juntamente com Edilson, ambos justificando deficiência dos serviços de saúde, na atual gestão.

Os diferentes ambientes políticos avaliam o resultado desta quinta-feira, como importante vitória do sobralismo, que poderá repercutir nas eleições de 2020.

Considerando a cultura vinculante, de que os resultados no legislativo são frutos das articulações dos principais líderes dos grupos, nota-se então, o placar de 1 x 1 na Câmara de Irecê, no atual mandato. Elmo Vaz venceu o primeiro biênio e Luizinho o segundo.

A condução das matérias de interesse administrativo das duas casas e das políticas públicas de interesse social, terão nova dinâmica. Se favoráveis ao desenvolvimento de Irecê, ou às conveniências de grupos, só o tempo e os resultados revelarão.

Da redação