Saúde

Familiares de paciente com coronavírus estão sendo monitorados, diz ministro da Saúde

Cultura&Realidade - 27 de Fevereiro de 2020

file-2020-02-27105713.584137-se0e608f44-5969-11ea-9b89-f23c917a2cda.jpg

Ele está em isolamento familiar fazendo o tratamento da doença - Foto: Ilustração

O Ministério da Saúde confirmou em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira (26) o primeiro caso do coronavírus no país. O paciente de 61 anos retornou da Itália no último dia 21 de fevereiro, esteve com familiares pós viagem, e no domingo (23), começou a apresentar os primeiros sintomas da doença, como febre e tosse.

 

Ele está em isolamento familiar fazendo o tratamento da doença com Tamiflu, considerado como medicamentos de suporte para atenuar sintomas. Os familiares do paciente também estão sendo monitorados.  Ele não foi levado para um hospital para evitar contaminação de outras pessoas. Com a confirmação da doença, e com os casos confirmados da Itália, Mandetta acredita que muitos brasileiros que estão no exterior voltarão ao país e precisarão ser monitorados.  No país, 20 casos estão sob suspeitas, metade é de mulheres. Os dois possíveis casos na Bahia foram descartados como coronavirus e foram diagnosticados como outras doenças respiratórias. Um dos casos suspeitos era de um bebê de Itabuna. Dos suspeitos, 12 viajaram para Itália. Desde o surto da doença, 59 casos foram descartados.

 

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante a coletiva, falou da atenção que a pasta já estava dando para a possível chegada da doença ao país e as medidas que estão sendo adotadas. Com a confirmação do primeiro caso, foi acionado 3º Nível de Alerta de Saúde e disse que, do ponto de vista do status sanitário, nada muda nas ações já adotadas. “Com certeza, vamos passar por essa situação, aguardando, investindo em ciências, e em clareza de informação”, afirmou na coletiva. Ele pediu para as pessoas adotarem medidas de higiene, como lavagem das mãos e do rosto com água e sabão por mais de 20 segundos até a altura do pulso e uso de álcool em gel.

 

O ministro destacou que, até então, os casos notificados estavam no hemisfério norte e que o que se conhece do vírus é sobre o comportamento dele no inverno. Com a confirmação do 1º caso no Brasil e de um caso na Argélia, se observará como o vírus se comporta no hemisfério sul, sobretudo, no verão. Tambémanalisou que já se sabe pelos dados coletados na China desde novembro os índices de letalidade e de transmissão da doença.

 

O secretário de Saúde de São Paulo, José Henrique Germann Ferreira, afirmou que providências já foram adotadas para mitigar os efeitos da doença em São Paulo e no país.  Na lista paulista, 16 pessoas estão sendo consideradas com suspeita de contaminação. Ele lembrou que o coronavirus já é conhecido desde 1960 e era transmitido por zoonoses, mas que não sabe se a origem de contaminação do surto que surgiu na China no final de 2019.

 

Os primeiros sintomas da doença podem aparecer entre 9 e 14 dias de contaminação. Os idosos são os mais atingidos. Já foram registradas mais de 2,7 mil mortes e 1 milhão de casos confirmados na China. 34 países já confirmaram casos da doença. A tendência, segundo o secretário de Saúde de SP, é de estabilizar os casos no mundo e que as pessoas estão se recuperando. O ministro da Saúde informou que ja licitou o aluguel de até 1 mil leitos de CTI para tratar a doença, caso seja necessário.
Com conteúdo de BN