file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Festival Gastronômico Paladares do Sertão

Exposição fotográfica reúne estudantes e comunidade na UNEB – Campus Irecê

17 de Novembro de 2015

exposição1.jpg exposição1 Por Eduardo Almeida Na noite de ontem (16), os estudantes do primeiro semestre de pedagogia do DCHT XVI – Campus Irecê, realizaram exposição fotográfica retratando alguns aspectos das escolas municipais de João Dourado, Irecê, Presidente Dutra e Uibaí, no âmbito da educação do campo, quilombola, infantil e fundamental II. A exposição teve como tema A escola na / da comunidade: de qual educação estamos falando?, como encerramento de atividade acadêmica, para o componente  PPP 1 (Pesquisa e Prática Pedagógica 1). O evento é resultado de dois meses de trabalho, envolvendo pesquisa de campo, vivencias e experiências em escolas de diversos segmentos como Educação Quilombola em João Dourado, Educação no Campo em Irecê nas Comunidades de Mocozeiro e Meia Hora, Escolas de Ensino Fundamental 2 em Uibaí e Presidente Dutra, Escola de Ensino Fundamental 1 em Irecê,  sob a orientação da Professora Joelma Bispo. A exposição que foi aberta à comunidade, contou com o envolvimento de todos os estudantes da turma realizadora e recebeu visitantes de diversos municípios, como São Gabriel, Presidente Dutra, Lapão, Central e estudantes de outras instituições de ensino médio e superior da cidade de Irecê. Visitantes e estudantes manifestaram-se satisfeitos com os resultados dos trabalhos e a participação da comunidade. “É muito gratificante saber que a comunidade e os colegas e estudantes visitantes, gostaram do nosso trabalho”, destaca Gêsya Porto, estudante integrante da organização do evento. Para a professora Joelma Bispo, “os estudantes apresentaram de forma rica, sistemática e provocadora, reflexões que trazem como principal questão a relação da educação e a sociedade”. Tudo isso, fruto das reflexões e discussões construídas de forma articulada com os diferentes componentes curriculares ao longo do semestre. “Além dos envolvidos diretos, a exposição reuniu a comunidade externa que pode vivenciar uma experiência cultural em que o visual, sensório e olfativo foram mobilizados de forma que as pessoas foram tocadas por inteiro”, completa a professora.