file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Saúde

"Esperava por isso a mais de um ano", afirma paciente no Mutirão de Cirurgia, em Irecê

07 de Março de 2017 (atualizado 29/Jun/2017 09h50)

Mutirão busca desafogar demanda por intervenções cirurgias no Sistema Único de Saúde na Bahia; acampamento itinerante atende em Irecê nesta semana (07 e 08/03)

Mutirão de cirurgia salva vidas em Irecê

Foto: Paciente em atendimento no Mutirão de Cirurgia (Waldson Alves)

Redação Cultura&Realidade - Por Rodrigo de Castro Dias

"Cheguei aqui antes das 6h da manhã, pra tentar pegar uma senha menor", conta Sandra de Oliveira, moradora de Central, cidade localizada a 37 km de Irecê. Ela é uma das várias dezenas de pessoas que vieram de toda a região para buscar atendimento no Mutirão de Cirurgia, uma iniciativa do Programa Saúde Sem Fronteiras, do governo da Bahia. Sandra, assim como várias outras pessoas, acordou de madrugada para viajar de sua casa em outro município em busca da marcação para uma intervenção cirurgica.

Maria Aparecida, moradora de Ibititá, conta que há tempos vinha tentando a marcação da sua cirurgia, uma intervenção na vesícula. "Eu passei o ano passado inteiro tentando marcar minha operação, mas nunca tinha vaga, estava muito difícil. Depois da política (ela se refere a eleição municipal de outubro último) então, ficou impossível. Cheguei a orar pro meu bom Deus 'se eu tiver que conseguir essa operação, será por sua vontade'. Acho que por tanto orar, veio esse mutirão. Foi uma salvação", conta ela.

Foto: acampamento do Mutirão com pacientes de toda a região na manhã desta terça (Waldson Alves)

Desafogo de demanda - O Mutirão trabalha atendendo pacientes de uma lista compilada anteriormente com pedidos de intervenção cirurgica em cada município. Essas listas são organizadas no 'Sistema de Gestão de Cirurgias Eletivas', que gera uma outra lista com o nome das pessoas que devem ir até o acampamento dos Mutirões realizados periodicamente em diferentes locais do estado, para realizar exames pré-operatórios e a marcação das cirurgias, que serão realizadas no Hospital Municipal de Lapão a partir do próximo dia 13. Hoje e amanhã (07 e 08/03), é a vez de Irecê acolher o Mutirão, que atenderá pessoas de 19 municípios da microrregião.

Esta etapa do mutirão está atendendo pessoas com pedidos para intervenções de histerectomia, colecistectomia (conhecida como retirada da vesícula) e retirada de hérnias (umbilical, inguinal, epigástrica). Andréia saiu às 3h da manhã de Xique-Xique, localizada à 110 km de Irecê, em busca do tratamento de um mioma. "Tem que madrugar se quiser ser atendido no mesmo dia. É cansativo, mas pra quem já esperou mais de seis meses, não é nada diante da dificuldade que já foi", queixa-se. Apesar das dificuldades anteriores, ela se mostra otimista com a oportunidade. "O rapaz (funcionário do Mutirão) falou que a gente pudesse ficar despreocupado que todo mundo que tá aqui com a senha será atendido hoje, ninguém vai embora sem o atendimento. Uma conhecida minha falou que o hospital onde vão fazer a operação é muito bom, limpinho, ela já ficou internada lá. É bom, porquê a gente merece um atendimento decente, né?", afirma. 

Segundo a Prefeitura de Irecê, que está oferecendo suporte ao Mutirão, a capacidade de atendimento é de 140 pacientes por dia, oriundos das cidades de América Dourada, Barro Alto, Canarana, Central, Gentio do Ouro, Ibititá, Irecê, Itaguaçu da Bahia, João Dourado, Lapão, Mulungu do Morro, Presidente Dutra, Uibaí, Barra do Mendes, Cafarnaum, Ibipeba, Jussara, São Gabriel e Xique-Xique.