file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Festival Gastronômico Paladares do Sertão

Emoção marcante em “Caixa de Brinquedos”, que começa hoje em Irecê

09 de Outubro de 2015

CIRSQ.jpg [caption id="attachment_2513" align="aligncenter" width="599"]CIRSQ Elenco de "Caixa de brinquedos" fotografa com as crianças após o espetáculo/Foto: Página pessoal de Cristina Magalhães[/caption] Por João Gonçalves Para quem vai ficar neste feriadão em Irecê, uma boa pedida para celebrar o Dia das Crianças é o espetáculo “Caixa de Brinquedos”, dirigida por Solon Barreto, produtor que vem de uma temporada com a produção “Casamento do pequeno burguês”, clássico do escritor alemão Bertolt Brecht, sucesso de público e crítica, e que terá apresentação especial para os professores da rede municipal de ensino nos próximos dias 15 e 16. Caixa de Brinquedos é uma adaptação de Solon Barreto, do texto do produtor paulistano Marcondys França que desenvolve o enredo a partir de um contexto bastante comum às crianças: os brinquedos que ganham com acalorado entusiasmo, que em pouco tempo são colocados de lado e aos poucos vão ficando no esquecimento. Com o advento da tecnologia, isso acontece com mais frequência e os brinquedos e brincadeiras populares vão ficando cada vez mais em desuso.  Na primeira cena uma caixa cheia de brinquedos recebe a visita de Bento (Emerson Kaique), a convite de Carina (Cris Magalhães), dona dos brinquedos e que deseja se desfazer dos mesmos. BENTO: - Nossa! Quantos brinquedos! CARINA: - Não disse que era bastante!? BENTO: - Tem certeza que quer mesmo jogá-los fora? CARINA: - Claro. De que me servem esses brinquedos velhos? BENTO: - Cada brinquedo desse deve ter uma história. CARINA: - Que já passou. Agora estão velhos, não me servem mais. BENTO: - Nunca tive um brinquedo. CARINA: - Se quiser pode ficar pra você. BENTO: - Não. São seus. Deveria amá-los. CARINA: - São um bando de sucatas. BENTO: - Se tivesse cuidado melhor... CARINA: - Hei, você veio aqui pra me criticar? BENTO: - Não. Me desculpe. Meu trabalho será recolher estes brinquedos. CARINA: - Tá vendo aquela boneca? Foi minha preferida, era uma linda bailarina. BENTO: - Só está um pouco descuidada. CARINA: - Velha! Essa ali... É a Maricota, uma boneca de pano, presente da minha avó. BENTO: - Não tem nenhum valor sentimental? CARINA: - Impossível! Está velha e fede a mofo. BENTO: - E esse soldado? CARINA: - Foi do meu irmão... BENTO: - É um bravo soldado. CARINA: - Que nada! Só tá ocupando lugar. BENTO: - Então você que jogar todos esses brinquedos fora? CARINA: - Exatamente. BENTO: - Então tá. Onde tem sacos? CARINA: - Vem... Vou pegar pra você. A partir daí o público passa a viver uma aventura extraordinária, pois os brinquedos ganham vida e desejam outros destinos que não o planejado por Carina. É então que eles buscam se libertar da caixa para buscar a ajuda do velho Zimbá, de quem espera solução revitalizadora, corrigindo os defeitos que se apresentam em cada um deles. Trata-se de uma história que ganha vida e emociona o público, visto que todas as crianças, e até mesmo os adultos, poderão relembrar em sua linha do tempo, dos brinquedos que, de alguma forma, fizeram parte de momentos importantes das suas vidas. Particularmente, ao escrever este texto, revivi bons momentos quando criança, debaixo dos sãojoeiros no fundo do quintal, onde transformava pequenos garranchos e pedras em moradias e cercas das “fazendas”,  que tinham gado, bodes e cabras, simbolizados por ossos das vertebras de pequenos animais, dos carrinhos com latas de óleo vegetal, usando restos de madeira e solados de borracha das “japonesas” velhas jogadas aos monturos dos quintais. Dos brinquedos de plásticos que meu pai trazia da feira, as camionetes que a gente usava até furar o “lastro”, as bonecas que minha irmã Lúcia adorava. E quando era daquelas que emitia um ruído com o movimento, era uma alegria só. E as bonecas de pano que vô Maria fazia... Bom, impossível não se emocionar com “Caixa de Brinquedos”. LOCAL: AUDITÓRIO DO COLÉGIO MODELO DATA: 09 (Hoje), 10, 11, 17 e 18/10 HORÁRIO: 18h30 INGRESSO: R$ 10,00 Elenco: Alexandre Gomes (Mestre Zimbá), Cris Magalhães (Cristina), Emerson Kaique (Bento), Mariana Dourado (Boneca Maricota), Gabriele Mares (Urso de Pelúcia), Joca Nascimento (Soldadinho de Chumbo) e Jailson Paiva (Palhaço Pipoca). Produção: Tiago Roberto e Sávio Santos. Direção: Solon Barreto