file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Irecê e Região

Emissora de rádio em Central é destruída por incêndio possivelmente criminoso

09 de Agosto de 2017

Recepção de emissora de rádio parcialmente destruída em Central

Recepção da Central FM destruída pelo incêndio ocorrido nesta madrugada (Reprodução/Central Notícia)

Redação Cultura&Realidade

A emissora de rádio Central FM, localizada no município do mesmo nome, foi parcialmente destruída por um incêndio na madrugada desta quarta-feira (9). A rádio, apesar de atuar com status de "comunitária", é propriedade do atual prefeito local Uilson Monteiro.

De acordo com informações veiculadas pelo site local Central Notícia, o incêndio começou por volta de 1h da manhã e destruiu móveis da recepção, portas de vidro, computadores, ar condicionados e outros objetos. O fogo foi controlado graças a intervenção de moradores com o auxílio de um carro-pipa.

Pichação com ofensas ao prefeito Uilson Monteiro

Pichação encontrada em parede da Central FM, com ofensas ao prefeito e proprietário Uilson Monteiro (Reprodução/Central Notícia)

O ex-diretor da emissora, Hyago Jardel, acredita que o incêndio foi criminoso. Ele disse que os possíveis autores tiveram acesso ao interior da rádio pelos fundos, onde desligaram o alarme, cortaram a cerca elétrica e arrombaram a porta. Por sua vez, o delegado titular Heloísio Sandro Lacerda enfatiza que as investigações já se iniciaram, e que no momento é prematuro afirmar se a origem do incêndio foi criminosa ou acidental. A perícia foi acionada na manhã de hoje e no momento conduz os primeiros trabalhos investigativos.

O proprietário e prefeito, Uilson Monteiro, disse ao Central Notícia que o transmissor e o estúdio da emissora não foram afetados pelo incêndio, e estranhou a forma como se deu o incidente. "O estranho é que não furtaram nada, mas estouraram o cofre pensando que tinha dinheiro’', afirmou. Uma pichação contendo ofensas ao prefeito foi encontrada em uma das paredes do imóvel onde funciona a emissora, o que alimenta a tese de que se trata de uma ação criminosa.