POLÍTICA

Em nota, assessoria de Dr. Raul desmente Guina e diz que a rejeição das suas contas foi por superfaturamento

Cultura&Realidade - 20 de Fevereiro de 2020

file-2020-02-20085625.941464-WhatsApp_Image_2020-02-19_at_20.03.52058e0e46-53d8-11ea-b070-f23c917a2cda.jpg

Na nota em que rebate o ex-prefeito, a assessoria de comunicação do citado escritório de contabilidade afirma que em nenhum momento foi negligente. - Foto: Ilustraçãoa

A Assessoria Contábil Raul Carvalho, sediada em Salvador, que prestou serviços à Prefeitura de América Dourada, inclusive na gestão do ex-prefeito Agnaldo “Guina” Oliveira Lopes, o desmentiu, na tarde desta terça-feira, 18, em nota emitida à redação do Cultura&Realidade, motivada para rebater a afirmação que Guina fez, culpabilizando o escritório de Raul Carvalho, pelo atraso na prestação de contas dos recursos destinados pelo governo federal para o transporte escolar, no período de 2009 a 2011. 


Saiba Mais: Ao refutar matéria, ex-prefeito Guina, de América Dourada, culpa assessoria por atraso na prestação de contas


Na nota em que rebate o ex-prefeito, a assessoria de comunicação do citado escritório de contabilidade afirma que em nenhum momento foi negligente, que fez os lançamentos em tempo hábil, e que as contas foram aprovadas, sendo, a condenação de Guina, por superfaturamento apontado pela CGU – Controladoria Geral da União.


“Toda a documentação pode ser vista no sistema SIGPC, consulta pública, onde a prestação de contas foi aprovada do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE, razão do porque, não cabe ao ex-gestor SR AGNALDO OLIVEIRA LOPES, culpar a sua assessoria da época, pois o papel da assessoria contábil é "registrar atos e fatos", e sempre nos preocupamos com a precisão, prazo e a ética nas informações.”, diz a nota.


Em sua conclusão, a assessoria de Raul Contabilidade é enfática em dizer que o motivo da condenação foi o relatório da “auditoria por meio de sorteio da Controladoria Geral da União, Relatório de Fiscalização Nº 034004, de 15/08/2011, onde a CGU “in loco” constatou no período de 01/07/2009 a 29/07/2011, no PROGRAMA TRANSPORTE ESCOLAR - PNATE, SUPERFATURAMENTO NA CONTRATAÇÃO DE TRANSPORTE ESCOLAR, MOTIVO ESTE DE CONDENAÇÃO JUNTO A JUSTIÇA FEDERAL”, afirma. 
 

Leia na íntegra a nota de esclarecimento da Raul Contabilidade:

“NOTA DE ESCLARECIMENTO
Sobre a prestação de contas do recurso Programa Nacional de Apoio ao Transporte do Escolar  - PNATE, o prazo para prestação de contas teve fim em 30/04/2013, referente ao exercício de 2011, Sistema de Gestão em Prestação de Contas - SIGPC, do Fundo Nacional de Desenvolvimento da educação - FNDE, era outra gestão e não tínhamos acesso ao sistema, era outro Governo, gestão de Joelson Cardoso do Rosário, que prestou contas em 20/08/2013.


O fato ocorrido de prestar contas, que esta foi entregue via sistema SIGPC ON LINE e enviada ao Conselho de Acompanhamento e Controle Social - CACS FUNDEB, que por algum motivo de vigência do conselho a prestação de contas ficou informada mais pendente de efetivação do parecer do conselho.


Toda a documentação pode ser vista no sistema SIGPC, consulta pública, onde a prestação de contas foi aprovada do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE, razão do porque, não cabe ao ex-gestor SR AGNALDO OLIVEIRA LOPES, culpar a sua assessoria da época, pois o papel da assessoria contábil é "registrar atos e fatos" e sempre nos preocupamos com a precisão, prazo e a ética nas informações. 
A matéria em questão foi a realização de auditoria por meio de sorteio da Controladoria Geral da União, Relatório de Fiscalização Nº 034004, de 15/08/2011, onde a CGU “in loco” constatou no período de 01/07/2009 a 29/07/2011, no PROGRAMA TRANSPORTE ESCOLAR - PNATE, SUPERFATURAMENTO NA CONTRATAÇÃO DE TRANSPORTE ESCOLAR, MOTIVO ESTE DE CONDENAÇÃO JUNTO A JUSTIÇA FEDERAL.
ASSESSORIA RAUL CARVALHO”

Da Redação