ELEIÇÕES 2020

Em Irecê, Elmo Vaz sai na frente da representante sobralista, veja resultados

Cultura&Realidade - 30 de Dezembro de 2019 (atualizado 02/Jan/2020 12h44)

file-2019-12-30141252.772392-elmo9d1b1fb2-2b27-11ea-b070-f23c917a2cda.jpg

Elmo Vaz versus Michele Sobral, possível confronto em 2020 pela Prefeitura de Irecê - Fotos: Ilustrações/Redes Sociais

Antes que verificar os números da mais recente pesquisa de intenções de votos para as eleições de 2020, realizadas pela C&R Pesquisas, em Irecê, é bom saber de um breve retrospecto deste instituto que desde a sua fundação, em 1988, nunca errou resultados de pesquisas eleitorais.

1996

Primeira eleição de Beto Lelis, 1996, contra Luiz Sobral. O servidor da Polícia Civil e radialista Zé Bastos e Ricardo, empresário da construção civil perguntaram ao diretor do instituto, ainda na antiga delegacia, na Av. Tertuliano Cambuí, como seria a eleição de 1996. Após algumas considerações, foram informados que, de acordo a consulta da C&R Pesquisas, seria uma frente de 1500 votos a favor de Beto Lelis. Um dos dois, riscou na parede da recepção aquela previsão. Deu 1.501.

2000

Nas disputas pela prefeitura do ano 2000, Ivone Pimentel “engrossou o caldo” contra Lélis. Havia outro candidato em terceira via: Dr. Francisco Dourado, filho do Juiz do Trabalho e ex-deputado Stoessel Dourado. Naquela eleição, em consulta pública realizada uma semana antes e divulgada na véspera da eleição, a C&R Pesquisas cravou e está em jornal impresso, inclusive arquivado no Cartório Eleitoral da 95ª Zona, que a frente de Beto Lélis seria de 1%, mesma quantidade de votos que teria Dr. Francisco. Ao abrir as urnas, lá estavam 281 votos a frente de Beto para Ivone Pimentel e 281 votos a quantidade de sufrágios destinados ao candidato da terceira via.

2004

Em 2004, poucas pessoas acreditavam na vitória de Joacy Dourado, contra Zé Duarte. A Hildompedro Oliveira, diretor da Caraíbas FM, foi dito pelo diretor da C&R Pesquisas, que Joacy iria dar a volta por cima e ganharia a eleição. A Juniôr do Prakasa, foi dito que Joacy teria uma frente acima de 2.450 votos. Ele não acreditou muito, mas ao abrir as urnas, lá estavam 2.729 votos a frente de Dourado.

2008

Em novembro de 2007, o governo de Joacy enfrentava uma grande crise de aceitação. A C&R Pesquisas sinalizou 76% de rejeição. Porém, obras estaduais, requeridas pelo então deputado Zé das Virgens, junto ao secretário de Infraestrutura da época, Afonso Florence, permitiu a pavimentação de 44 ruas e o governo municipal se regenerou, viabilizando assim o projeto político que teve o petista Zé das Virgens como candidato. Mais uma vez a C&R Pesquisas cravou o resultado, afirmando antecipadamente que das Virgens ganharia com votação expressiva, com frente acima de 4 mil votos contra Luiz Sobral. Deu 4.110, a frente do petista.

2012

Na disputa para reeleição de Zé das Virgens, novamente contra um representante do clã sobralista (Luizinho Sobral), a C&R Pesquisas anunciou que se o grupo situacionista invertesse 400 votos ganharia a eleição. Luizinho venceu com 763 votos de frente.

2016

Em 2016, a C&R Pesquisas apontou, nas manifestações definidas, 47,7% de votos para Elmo Vaz e 46,6% para Luizinho Sobral, que, em projeção dos votos válidos, em números arredondados, Elmo Vaz ganharia com 52% dos votos, contra 48% dedicados a Luizinho Sobral. As urnas conferiram Elmo Vaz 51,13%, contra 48,83% de Luizinho. Ou seja, resultado antecipado cravado, considerando a margem de erro de 2% para mais ou para menos.

Elmo Vaz lidera corrida eleitoral para 2020

Principal líder das oposições em Irecê, Luizinho Sobral teve seus direitos políticos suspensos pelo Tribunal Superior Eleitoral, por crimes eleitorais cometidos em 2012, cujo processo inviabilizou as intenções de Hisadora Lelis e do empresário José Sidney, da rádio Lider FM e por outros crimes, Beto Lelis também não poderá concorrer nas próximas eleições.

Frente ao contexto, Luizinho iniciou tratativas com Zé Carlos da Cebola para uma possível aliança, tendo o ceboleiro como possível candidato. Mas as últimas movimentações políticas do líder sobralista indicam que será sua esposa Michele Sobral a candidata do grupo, cujo nome está sendo colocado como ponta de lança para ver como será o seu desempenho até as convenções.

Diante do cenário posto, a C&R Pesquisas fez consulta apenas em formato de confronto direto e em modo estimulado, envolvendo o que se imagina ser, de fato, os representantes da polarização. A consulta foi realizada nos últimos dias 26 e 27, envolvendo os povoados de Fazenda Nova, Itapicuru, Queimada dos Rodrigues, Umbuzeiro, Baixão de Zé Preto, Mocozeiro, Angical, Queimada do Floriano, Meia Hora, Achado e Lagoa Nova e em todos os bairros da sede. Foram realizadas 685 entrevistas, com margem de erro de 2% para mais ou para menos e 95% é a margem de confiança. 

Avaliação do Governo liderado por Elmo Vaz

No quesito avaliação do governo, não foi apresentada a opção “regular”, apenas os polos positivos e negativos. Os que aprovam o governo somam 58%, total das opções “Boa” (45%) e “Excelente” (13%). Já a desaprovação da gestão é 29%, “Péssima” (13) e “Ruim” (16%) e os que não quiseram ou não souberam avaliar, são 13%.

Intenções de voto

Os resultados de intenções de votos apontam 44% para Elmo Vaz, contra 34% para Michele Sobral e 22% não quiseram ou não souberam opinar.

Considerando somente os votos válidos manifestados, Elmo Vaz vai a 56% contra 44% de Michele Sobral.

Elmo vaz tem mais rejeição que Michele

Elmo Vaz tem maior rejeição que a Sobralista. De acordo com os dados apurados, 32% não votariam em Elmo e 30% disseram não votar de jeito nenhum em Michele. Os que não quiseram ou não souberam responder, somam 38%.

Da Redação