Irecê e Região

Em Ibititá, população debate nas redes sociais, abandono de estádio e escola de R$ 3,5 milhões

Cultura&Realidade - 22 de Maio de 2020 (atualizado 23/Mai/2020 03h00)

file-2020-05-22170629.001846-ib_capab925ea1e-9c67-11ea-b070-f23c917a2cda.jpg

Campo gramado, a promessa de um sonho de campanha, contrasta com a realidade das imagens que demonstram campos de terras arrasadas - Foto: Ilustração

A arte do prefeito Cafu Barreto "vender sonhos" nas campanhas passadas, está levando a população a refletir e debater as estruturas do estádio de futebol, campos de várzea e as obras inacabadas de um prédio escolar, padrão MEC, que já consumiu R$ 3,5 milhões

 

DA REDAÇÃO I Por João Gonçalves

O vereador Paulo Dourado (MDB) de Ibititá, publicou na noite desta quinta-feira, 21, às 19h24, um vídeo que está repercutindo forte em diferentes espaços sociais da região. Em menos de 10 horas de postado, o documentário já superou a casa das 1.200 visualizações, gerando comentários de incredulidade frente às cenas apresentadas.

Conhecido em passado recente pela pujança do seu futebol e atividades culturais (Ibititá era famoso também pelos carnavais de rua) o conteúdo apresentado pelo vereador demonstra a situação do estádio de futebol do município em total abandono, bem diferente da promessa feita pelo atual prefeito Cafu Barreto, em 2012.

Paulo Dourado entende que pelas promessas apresentadas a 8 anos por Cafu Barreto, hoje era para Ibititá dispor de um estádio gramado, com iluminação e um futebol à altura da sua história. “Mas tudo que vimos é o abandono, a degradação de tudo que se tinha de bom em Ibititá”, diz.

O documentário mostra cenas dantescas de descaso do estádio na sede municipal e dos campos nas comunidades rurais. Vejam as fotos e o vídeo ao final desta matéria.

DEBATE NAS REDES

A repercussão entre os internautas foi imediata (sem edição das falas): Apoliana Martins, da comunidade Lagoa do Leite, foi logo explicando que “não sou muito de comentar mais esse aí uma das coisas que sinto mais saudades são os campeonatos municipal e agora não temos nem campo de futebol imagina um campeonato”.

Apoliana Martins: saudades - Foto: Rede social

O contabilista Hernandes Pires foi saudosista também, ao lembrar do “estádio onde foi palco de grandes partidas hoje se encontra numa situação dessas... Lamentável pra todos nós desportistas e amantes do futebol!!!”.

Hernandes Pires: lamento - Foto: Redes sociais

Já o atleta de Jiu Jitsu, Sergio Luiz, natural da região, mas que mora em São Paulo atualmente, afirmou que “...independente de partido isso é muito lamentável”. Técnico em agropecuária, Eugenio Matos ironizou: “Campo ficou show”.

 

OBRA DE R$ 3,5 MILHÕES, JOGADA ÀS TRAÇAS

Assita também! Outra postagem feita pelas oposições contra a atual administração, (já com mais de 20 mil visualizações no Instagram) trata da construção de uma escola que deveria ser padrão MEC, mas tudo que se tem são escombros de uma obra inacabada. “Onde estão os R$ 3.500.000,00 (três milhões e quinhentos mil reais) pagos à construtora WTM, que está no município desde o ano de 2013, vencedora sucessivamente de licitações lançadas pelo atual prefeito?”, questionam os vereadores Odair Neves, Paulo Dourado e Cristian Dourado.

Paulo Dourado aproveitou para carimbar: "Após as denúncias que fizemos sobre o sofrimento do povo, com o descalabro dos serviços de saúde do município, o prefeito tratou de construir o hospital no final do mandato. Talvez, com as  novas denúncias, ele requalifique os estádios e conclua o prédio escolar", espera o vereador.

PREFEITURA RESPONDE

O site Cultura&Realidade procurou esclarecimentos às secretarias de educação e de obras, bem como à diretoria de esportes do município de Ibititá, para que se manifestassem sobre o estádio e campos de futebol e sobre as obras abandonadas do prédio escolar.

Através da Assessoria de Comunicação (Ascom) a prefeitura disse que “o prédio escolar é obra tocada através de um convênio com o FNDE e os recursos são federais. Mesmo diante da falta de repasse desde 2018, o município segue com a construção em andamento”, disse, em resposta.

Sobre os campos de futebol, a Ascom relatou que “o município já realizou reformas e intervenções nos últimos anos e viabilizou via emenda parlamentar recursos na ordem de um milhão para requalificação completa do campo. Mas o foco neste momento é a vida e a saúde das pessoas. A prefeitura está focada na inauguração do Hospital Municipal.”, informou.

A justificativa do governo, via Ascom, de certo vai gerar mais debates sobre os temas. Na postagem original sobre a situação do estádio, o ibititaense Luis Felipe Fonseca Fenandes parece ter antecipado as justificativas do governo: “sabemos que a preocupação é pensar em salvar vidas. Mas estamos a quase 8 anos e a tão sonhada reforma do estádio não veio. Vendo as imagens, é mesmo estarrecedor o descaso com o patrimônio do povo”, lacrou.

CONTRASTES DO SONHO VERSUS REALIDADE

 

Estádio gramado, um sonho vendido em troca de votos desde 2012. Imagens do abandono: a prova do que está sendo entregue - Fotos prints

ABAIXO, VÍDEO, PRODUÇÃO INDEPENDENTE, SOBRE PROMESSA DO ESTÁDIO

VÍDEO, PRODUÇÃO INDEPDENDENTE,

SOBRE AS OBRAS DO PRÉDIO PADRÃO MEC, QUE JÁ CONSUMIRARM R$ 3,5 MILHÕES