Irecê e Região

Em Central, população está revoltada pelos atrasos de pagamento dos servidores públicos 

Cultura&Realidade - 10 de Outubro de 2019

file-2019-10-10121052.692880-WhatsApp_Image_2019-10-10_at_12.08.222689a86a-eb70-11e9-b6ac-f23c917a2cda.jpg

Prefeito Monteiro atrasa pagamento de servidores, causando enormes prejuízos - Foto: ilustração

 

Os servidores públicos de Central estão passando por momentos difíceis. Os salários estão atrasados há mais de dois meses e a reclamação mais pungente é de que está virando recorrente trabalhar 60 dias e receber apenas 30.
“Nós temos passado por momentos muito difíceis aqui em Central, temos recebido salário após trabalhar 60 dias”, disse Ezio, professor, em depoimento ao repórter Régis Aloi da Caraíbas fm. “Recebemos agora o mês de agosto no dia 1º de outubro e isso vem acontecendo todos os meses”.

Além disso, Ezio disse que até o momento ainda não receberam a segunda parcela do décimo terceiro relativo a 2017, e que os recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) não está sendo repassado na data correta para os professores.
A professora Maria Francisca da Fonseca cobrou uma fiscalização apurada da Câmara, pois ela não vê como eles conseguem permanecer “de maneira tão apática com essa situação caótica que se estabelece em Central”.

A população entrou em contato conosco através do Instagram para fazer a denúncia. “Meu pai é servidor público e está sem receber. Aqui em casa somos em sete pessoas e só eu e ele trabalhamos remunerados”, relatou Eri Johnson, professor de zumba de Central, em mensagem pelas redes sociais. “A maioria dos meus alunos são servidores públicos e eu já tive um corte de mais de 30% nesse número”. Eri publicou um vídeo em suas redes sociais após ter a luz de casa cortada por falta de pagamento. Segundo ele, havia mais de 50 pessoas na lista de corte ainda aquele mês.
 

Da Redação, via Caraíbas fm.