file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Irecê e Região

Decretada prisão preventiva de jovem empresário que matou cinco pessoas da mesma família em Irecê

Cultura&Realidade - 30 de Novembro de 2017 (atualizado 30/Nov/2017 10h44)

file-2017-11-30104440.838976-file-2017-11-30103244.995596-mauricisof2b61a78-d5d2-11e7-97a4-f23c917a2cda9d6320aa-d5d4-11e7-99e7-f23c917a2cda.jpg

Mauricio Cardoso está foragido e teve o pedido de prisão preventiva decretado nesta quarta-feira, 29 - Fotos: Extraídas do Facebook pessoal 

Foi publicada no meio da tarde desta quarta-feira, 29, no site oficial do Ministério Público Estadual, o pedido de prisão preventiva do empresário Maurício Cardosos, 19 anos, que se encontra foragido desde o dia 12 de novembro, quando provocou um acidente que matou cinco pessoas de uma mesma família de feirantes, na cidade de Irecê.

Leia na íntegra a matéria do Ministério Público:

"Maurício Machado Carvalho Cardoso, que está foragido, teve sua prisão temporária decretada pela Justiça. Ele é acusado de ter causado o acidente de trânsito que resultou na morte de Edenílson Alves dos Santos, Zuleide da Silva Ferreira, Itamara Ferreira dos Santos e de uma menina de três anos de idade, no dia 12 de novembro, em Irecê. A denúncia, apresentada pelo Ministério Público estadual, por meio dos promotores de Justiça José Carlos Rocha Freitas; Áviner Rocha Santos e Fábio Nunes Leal, foi recebida pela Justiça, que converteu, no último dia 23, a prisão temporária em preventiva.

O acidente aconteceu no dia 12 de novembro, por volta das 4h30, na BA 052, em Irecê. De acordo com a denúncia do MP, Maurício teria ingerido bebidas alcoólicas “no período da noite anterior até por volta das 3h”, quando teria saído do bar em Irecê para levar uma amiga em casa, no município de João Dourado. “Ela teria solicitado várias vezes que ele parasse o veículo para ela descer, pois temia por sua vida, tamanha a velocidade empreendida pelo motorista”, afirma a denúncia. No retorno para Irecê, Maurício, ainda em “velocidade excessiva, incompatível com a via”, perdeu o controle do veículo e invadiu a faixa contrária provocando a colisão frontal com o carro das vítimas, “que seguia corretamente na sua faixa”. Os promotores acusam Maurício de ter agido com dolo eventual, assumindo o risco de provocar um grave acidente e de ter fugido do local sem prestar socorro às vítimas. Três vítimas morreram no local e outras duas chegaram a ser socorridas, mas morreram em decorrência dos ferimentos."

Da Redação