AMBIENTE

Declaração dos direitos das árvores é proclamada na França

Cultura&Realidade - 17 de Abril de 2019

file-2019-04-17145501.918754-arvore-siteec6e3f12-6139-11e9-bab9-f23c917a2cda.jpg

Foto: Divulgação

As árvores também têm direitos na França! Contra os maus-tratos e pela preservação das árvores, a Declaração dos Direitos das Árvores foi proclamada no Parlamento francês. Um documento histórico apresentado pelos ativistas da associação ambientalistas ARBRES, que desejam tornar-se universais e abrir caminho para uma nova legislação capaz de reconhecer a árvore como um ser vivo.

Oxigênio, água, regulação da atmosfera, compensação de emissões de CO2, fertilidade do solo, animais, plantas e insetos: o universo das árvores é único e indispensável que devemos proteger. Mas todos os dias somos obrigados a lidar com a imensa redução do patrimônio florestal do planeta.

"A árvore é um ser vivo fixo que, em proporções comparáveis, ocupa dois ambientes distintos, a atmosfera e o solo. Raízes se desenvolvem no solo, que captam água e minerais. A coroa cresce na atmosfera, que captura dióxido de carbono e energia solar. Por este motivo, a árvore desempenha um papel fundamental no equilíbrio ecológico do planeta".

Este é o primeiro artigo da Declaração dos Direitos das Árvores, que representa um marco em defesa destes monumentos milenares, lendários e majestosos, preciosos para as nossas vidas, e contra o desaparecimento das florestas em todos os cantos do globo.

A Declaração dos Direitos das Árvores

"Este texto visa mudar o olhar e o comportamento dos homens, conscientizando-os sobre o importante papel que as árvores desempenham na vida cotidiana e no futuro, abrindo caminho para mudanças legislativas rápidas em nível nacional".

E, de fato, nos cinco artigosque compõem a Declaração, faz-se um apelo ao bom senso humano porque já não é mais possível viver sem considerar o ciclo de vida das árvores, o equilíbrio ecológico e a biodiversidade que dele dependem.

Como? Observando que uma árvore tem pleno direito à sua integridade física (galhos, tronco e folhagem) e subterrânea (raízes). A alteração desses órgãos enfraquece-a seriamente, assim como o uso de pesticidas e outras substâncias tóxicas.

A Declaração também apela à proteção das árvores monumentais. Algumas árvores consideradas notáveis ​​por suas idades, aparência ou por suas histórias, merecem atenção especial constituindo um patrimônio bio-cultural comum.

Um documento, em suma, que pode ser útil em todos os países para apontar a necessidade de definir as áreas de conservação do patrimônio paisagístico, beneficiando-se de uma maior proteção para todos os tipos de arbustos.

declaracao direitos arvore 2

O documentário

Por ocasião da proclamação da Declaração e para celebrar a natureza extraordinária das árvores, um documentário sobre as mais belas, mais antigas e surpreendentes árvores da França foi apresentado à Assembléia Nacional Francesa.

"Les Arbres remarquables", "As árvores extraordinárias", é o título do curta-metragem assinado por Axel Leclercq, uma viagem pelos mais belos arbustos da terra francesa, uma herança a ser compartilhada em uma excursão realmente sugestiva (trailer).

O objetivo? Trazer o público para a descoberta de um patrimônio desconhecido e convidar as autoridades a tomar medidas que irão protegê-lo permanentemente.

Da redação, com informações do site GreenMe