file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Geral

Debate eleitoral em Irecê é marcado pela ausência do candidato a reeleição, Luizinho Sobral.

09 de Setembro de 2016

IMG-20160909-WA0006.jpg [caption id="attachment_5645" align="aligncenter" width="521"]Elmo Vaz e Dorinha Lélis durante debate realizado hoje, na Câmara Municipal. | Foto: Bruno Carvalho Elmo Vaz e Dorinha Lélis durante debate realizado hoje, na Câmara Municipal. | Foto: Bruno Carvalho[/caption] O atual prefeito, Luizinho Sobral (PTN), não compareceu ao debate. Os adversários, Elmo Vaz (PSB) e Dorinha Lélis (PMDB), discutiram sobre os problemas de Irecê e propostas para a gestão municipal. Elmo se queixou da ausência de Sobral: "é lamentável que o prefeito se recuse a debater as questões de Irecê". Por Rodrigo de Castro (atualizada às 18:20h) A emissora de rádio Caraíbas FM realizou hoje, às 12h, o primeiro debate entre os candidatos à prefeitura municipal de Irecê. O evento, realizado no auditório da Câmara Municipal, na presença de assessores e apoiadores dos candidatos (que ficaram do lado de fora do auditório), ficou desfalcado pela ausência do atual prefeito e candidato a reeleição, Luizinho Sobral (PTN), que não manifestou interesse na participação. Devido à ausência de Sobral, o debate, desenhado para a participação de três pessoas, precisou se adaptar, adotando um formato onde os candidatos presentes, Dorinha Lélis (PMDB) e Elmo Vaz (PSB), respondessem a perguntas sorteadas e depois fizessem  questionamentos mútuos sobre as problemáticas ireceenses e propostas dos seus programas de governo. Na apresentação, cada candidato agradeceu a oportunidade de dialogar sobre Irecê. Dorinha lembrou que é esposa de Beto Lélis, ex-prefeito de Irecê, e que pretende fazer uma "gestão participativa, com palavras fiéis e verdadeiras". Elmo falou de sua origem e trajetória de vida, e lamentou que o atual prefeito não tenha comparecido ao debate. "É lamentável que o prefeito se recuse a debater os problemas da cidade", disse. Afirmou ainda que sua gestão terá especial compromisso com a saúde, educação e infraestrutura. Após a apresentação dos candidatos, o debate foi dividido em 4 blocos. No primeiro, cada um respondeu a duas perguntas que foram sorteadas de um pacote com questões elaboradas pela equipe da Caraíbas FM em conjunto com representantes das coligações. Os três blocos seguintes foram compostos por questionamentos diretos entre os dois candidatos presentes, com três minutos para resposta e mais um minuto para réplica e outro para a tréplica. No primeiro bloco, foi sorteada uma questão sobre educação e outra sobre saúde para cada candidato. A candidata Dorinha respondeu primeiramente sobre o que fará para a melhoria da educação da cidade. "Pretendo valorizar os professores, com capacitações e melhoria salarial", respondeu a candidata do PMDB, que enalteceu as ações do governo de seu esposo Beto Lélis quando prefeito - atitude que ainda se repetiria várias vezes ao longo do debate. Ela ainda questionou sobre as escolas que o prefeito Luizinho não construiu. Elmo Vaz, ao responder a sua pergunta do tema educação direcionada a ele (sobre políticas de valorização dos profissionais da educação), salientou sua proximidade com a área. "Além de engenheiro, também sou especialista em educação, no campo da metodologia de ensino", afirmou. Ele defendeu a ideia de implantar, entre outras medidas, a gestão democrática das escolas, promovendo eleição de diretores e vices. Também falou em valorização da categoria e na realização de concurso público para contratação de novos profissionais, além de um plano de carreira e uma ouvidoria especializada para a educação. A pergunta seguinte, sobre saúde, questionou Dorinha a respeito dos seus planos para o hospital municipal. Ela criticou a atual gestão que, apesar de ter reinaugurado a estrutura, faz mal uso de suas instalações, já que promove apenas "cirurgias eleitoreiras para pessoas indicadas". A candidata defende o uso extensivo das instalações do mesmo, para que assim o hospital regional fique desafogado de atendimentos e intervenções cirúrgicas. "Precisamos abrir o hospital municipal para outros serviços", resumiu. Por sua vez, Elmo foi questionado sobre distribuição de medicamentos. Ele citou um projeto onde farmácias locais possam comercializar medicamentos para a prefeitura, facilitando a distribuição de remédios como auxílio ao Sistema Único de Saúde (SUS). Defendeu também a construção de parcerias com o estado, a união e até com a iniciativa privada para trazer uma unidade de tratamento de câncer ao município. "Não podemos continuar do jeito que estamos, com tantos ireceenses tendo que sair para realizar tratamento em Salvador ou mesmo em outros estados", afirmou. Debate direto - Do segundo bloco em diante, os candidatos se questionaram diretamente sobre diversos temas. Dorinha Lélis e Elmo Vaz focaram, na maior parte do tempo, em resolução de problemas existentes, como a subutilização de uso do aterro sanitário regional, ações no campo do esporte, da cultura e do lazer, o avanço da violência e aspectos da infraestrutura urbana, como a pavimentação. Avaliação de setores como a educação municipal foram pontos da pauta. Entre respostas, réplicas e tréplicas, novas críticas à gestão de Luizinho surgiram. Em uma resposta ao questionamento de Dorinha sobre esporte, cultura e lazer, Elmo fez duras observações sobre a falta de iniciativas da atual gestão nestes aspectos. "Esporte, cultura e lazer são formas de se reduzir a violência. O esporte está abandonado pelo atual gestor, a juventude está totalmente desassistida". O candidato do PSB afirmou que irá desenvolver programas de fomento. "Temos o projeto de fazer escolinhas de futebol itinerantes para dar oportunidade a cerca de 600 jovens por toda Irecê, com a promoção de campeonatos entre elas. Vamos retomar as olimpíadas escolares e vamos também reformar e manter de verdade todas as quadras poliesportivas e campos de futebol de Irecê que estão abandonadas", disse. Dorinha, quando perguntada acerca da infraestrutura de pavimentação ireceense, questionou sobre o funcionamento da Usina de Asfalto, uma das ações mais comemoradas da atual gestão. "De que adianta essa usina se não está sendo utilizada? Está sendo apenas uma peça de museu. Nem energia elétrica tem. E o que pagou? Onde está instalada?", desafiou a candidata do PMDB. Ela questiona ainda o fato da prefeitura contratar empreiteiras para fazer serviços de pavimentação e manutenção das vias da cidade mesmo estando com a estrutura da usina, que em tese deveria fornecer condições para a própria administração municipal efetuar o serviço. Considerações - Ao término do quarto bloco, os candidatos tiveram três minutos para fazer suas considerações finais e defender seus projetos de governo. Dorinha defendeu seus valores, a importância da família e da igreja na vida das pessoas e concluiu afirmando "quem ama Irecê é Dorinha e Valderi". Em sua fala final, Elmo mais uma vez criticou a ausência de seu adversário, relembrando inclusive promessas da eleição anterior que não teriam sido cumpridas, como a construção da nova rodoviária e da guarda municipal. Ao concluir, falou do seu amor e compromisso com a cidade. "Não fugirei dos meus princípios de família. Serei sempre uma pessoa que ama Irecê de verdade e que vai viver aqui de fato, e não ser um prefeito que mora em Salvador", afirmou.