file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Irecê e Região

De Ibititá, jovem vítima de feminicídio em São Paulo tem morte cerebral

Cultura&Realidade - 04 de Abril de 2019 (atualizado 04/Abr/2019 17h05)

file-2019-04-04143340.465875-crimec94176ec-56ff-11e9-aca0-f23c917a2cda.jpg

Eliete Macedo, 23 anos e o agressor Arlan Cavancanti Foto: Reprodução

Na noite da última segunda-feira, 1º, Eliete Macedo, 23 anos, foi espancada pelo companheiro, Arlan Cavancanti, em Perus, bairro da Zona Norte de São Paulo.

Logo depois de agredir Eliete, Arlan deixou os dois filhos na casa do irmão e disse que voltava logo, mas não apareceu mais. Ele segue foragido.

O casal morava no distrito de Lagoa do Leite, distante 18km do município de Ibititá, região de Irecê. Após a separação, Arlan foi morar em São Paulo, com os dois filhos. Eliete, então, ficou morando com a mãe no povoado de Feira Nova, também em Ibititá.

Alegando que um dos filhos queria retornar para ficar com a mãe, Arlan teria armado uma emboscada para a ex ir ao seu encontro. No sábado, 30, ela chegou para pegar o filho.

Na segunda-feira, Eliete foi violentamente agredida por Alan. Ela foi socorrida e levada a um hospital, mas, segundo as informações, teve morte cerebral na noite desta quarta-feira (3).

REVOLTA

O clima é de total revolta na comunidade de Lagoa do Leite, onde Eliete nasceu e vinha morando com a mãe.

Familiares e amigos sustentam a versão de que Arlan já tinha tudo premeditado para matar a ex-esposa. Relatam que, depois de ir para São Paulo, ele retornou ao povoado para raptar as crianças e uma delas não se adaptou à nova moradia. Teria sido um ‘gancho’ para Arlan armar tudo e chamar a ex para a morte em São Paulo.

Uma irmã de Eliete está na estrada para São Paulo, para autorizar o desligamento dos aparelhos. O sepultamento do corpo será em Feira Nova. 

Da redação, com informações do site Irecê Reporter