AGRICULTURA

Cultura da pinha é debatida em seminário realizado em Presidente Dutra

Cultura&Realidade - 30 de Agosto de 2019

file-2019-08-30122814.812676-SEMINARIOc8c0daaa-cb3a-11e9-b6ac-f23c917a2cda.jpg

Agricultores e comerciantes lotaram a Câmara de Vereadores para discutirem o futuro da cultura irrigada em P. Dutra - Foto: Ascom/PMPD

Avaliar o atual contexto da cultura da pinha, tecnologias na gestão dos solos e recursos hídricos e a importância da diversificação da fruticultura, foram os principais objetivos do Seminário Regional da Pinha, com a discussão de novas técnicas de irrigação, controle de pragas para ampliar a produtividade ao segmento que movimenta a agricultura familiar da região.

O município de Presidente Dutra, considerado de pequeno porte, se transforma em gigante quando o assunto é a pinha, fruto que assegura à região o título de maior produtor do Brasil.

Ocorrido nesta quarta-feira, 28, na Câmara de  Vereadores de Presidente Dutra, o evento foi realizado pela Prefeitura local, através das Secretarias de Agricultura e do Meio Ambiente, em parceria com o governo do Estado, via Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB).

O prefeito Silvio Mário (Silvão), destacou que o evento é um marco importante, neste momento histórico em que a Prefeitura vem investindo na busca de experimentos, junto à Embrapa – Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuária, definindo ações de fortalecimento da pinha, mas promovendo alternativas visando implementar novas culturas no município.

Para o diretor-geral da agência, Maurício Bacelar, o trabalho da autarquia é estimular a perenização da cultura da família das anonáceas (atemóia, pinha, graviola) e orientar técnicas para obtenção de melhores resultados. ”Temos orientado a utilização de técnicas sustentáveis e estimulado a diversificação de culturas como a pêra, a maçã e o caqui e contamos sempre com a parceria dos produtores da região interessados em melhorar a qualidade”, explicou.

A ADAB estimula a cadeia da pinha em suas diversas etapas e organiza a programação do evento com o convite a pesquisadores da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária),para que os produtores  entendam mais sobre águas subterrâneas e exigências dos mercados importadores para agregar mais valor ao fruto.

A cultura da pinha gera uma receita de R$ 33 milhões/ano e mais de 3 mil empregos diretos e indiretos, apenas em Presidente Dutra, considerado um oásis no semiárido baiano. “A pinha movimenta a região o ano inteiro. São 4 mil hectares plantados e aqui cada propriedade da agricultura familiar trabalha muito bem com 5 hectares. É uma responsabilidade compartilhada que fixa o homem no campo e inclui toda a família”, enfatiza a coordenadora de Projeto de Anonáceas da ADAB, Keyla Soares.

A programação diversificada tratou desde o cultivo, irrigação, manejo, transporte até a venda das Anonáceas. A produção do evento recebeu cuidados especiais na seleção dos temas e convidados para atender as necessidades dos agricultores rurais. O evento contou mais uma vez com a participação do pesquisador e professor da Universidade do Sudoeste da Bahia (UESB), Dr. Abel Rebouças, que ministrou uma das principais palestras do encontro sobre a situação atual e novas tecnologias aplicadas ao cultivo das Anonáceas no Brasil e no mundo. Drª Keyla encerrou o ciclo com o tema “Projeto de Manejo Integrado das Pragas das Anonáceas”, que faz parte do seu projeto na ADAB.

Além dos dirigentes da ADAB, estiveram presentes o prefeito de Presidente Dutra, Sílvio Almeida, vereadores, comerciantes, agricultores e os secretários Ademar Moitinho (Agricultura) e Fabrício Carvalho (Meio Ambiente).

Da Redação, com informes das Ascom/DAB e Prefeitura