file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Bahia

Correio de Central está sem energia elétrica há cinco dias; população sofre as consequências

31 de Outubro de 2016 (atualizado 08/Fev/2017 06h11)

file-2017-02-08041119.785603-correio12687076b0-edc5-11e6-875e-047d7b108db3.jpg

Foto: população de Central sofre com a falta de atendimento na agência local dos Correiros (Jota D)

Do Central Notícia

O imóvel onde funciona de forma provisória a agência dos Correios de Central (BA), na Praça do Mercado, em, está há mais de cinco dias sem energia elétrica, segundo informações de funcionários dos Correios. A energia foi cortada por falta de pagamento da conta que é em torno de R$ 300 reais. Em contato na última sexta-feira (28) com a reportagem, a assessoria dos Correios disse que o pagamento das contas de energia é feito pela Diretoria Regional dos Correios da Bahia, em Salvador, mas que até o momento o problema não foi regularizado. As encomendas estão sendo distribuídas normalmente. No entanto, vários aposentados estavam na fila desde a madrugada desta segunda-feira (31) para receberem dinheiro. Eles receberam a péssima informação que a energia ainda não havia sido restabelecida. Por conta disso, a maioria fretou carros e motos para ir até o município de Jussara, onde o saque será feito pelo Banco do Brasil, já que a agência de Central está fechada e sem previsão de voltar a funcionar.

Agência fechada por causa da falta de energia elétrica. | Foto: Jota D

Agência fechada por causa da falta de energia elétrica (Jota D)

Há meses, a sede dos Correios em Central foi interditada pela justiça (Leia aqui). Um prédio alugado, pago pela prefeitura municipal, funciona na Praça do Mercado. Mas a conta de energia, por que não foi paga pela empresa, no caso, os Correios? A população fica revoltada pela falta de comunicação entre os Correios e clientes. O certo seria ter enviado uma nota para imprensa explicando o problema para evitar que diversos aposentados saíssem de madrugada de suas casas, a maioria na zona rural do município, para perder tempo em fila. E para complicar mais ainda a vida do centralense, a parceria entre os Correios e o Banco do Brasil, que começou há cinco anos, pode acabar neste ano. Será mesmo que clientes do Banco do Brasil vão arriscar suas vidas, fazendo o trajeto de Central à Jussara.

Nos dias de hoje se torna um perigo iminente já que a criminalidade aumenta a cada dia, infelizmente. A população de Central pede socorro às autoridades, pois os problemas que vêm acontecendo tendem a aumentar se providências não forem tomadas. A não ser que  a população migre  para o Posto Avançado do Bradesco, em Central. Esta parece ser uma solução mais adequada para o momento.